assinaturas

CRA, Bernardo Sousa: “Só nós conhecemos todos os factos…”

Por a 23 Dezembro 2018 10:09

Na sequência do arquivamento do processo disciplinar instaurado pelo Conselho de disciplina da FPAK à equipa Play/AutoAçoreana Racing, ao piloto Bernardo Sousa e ao navegador Valter Cardoso, relativo aos acontecimentos do Rali do Pico, os principais visados reagiram, cada um com a sua visão do mesmo assunto.

Recorde-se que na penúltima prova do Campeonato de Ralis do Açores, o VII Pico Play Auto Açoreana Rali, o DS3 R5 da dupla Bernardo Sousa/Valter Cardoso despistou-se na PE8, Cabeço Chão/Alto Barreiro, com o carro a ficar atravessado na estrada. O piloto ficou combalido, e Valter Cardoso, no stress do momento, socorreu-o, como é seu dever, mas já não foi a tempo de avisar a dupla que se seguia na estrada, Luís Rego Jr. e Jorge Henriques, o que também fazia parte dos seus deveres.

Ouvidas as testemunhas, o Conselho de Disciplina entendeu que perante a complicada situação com que se deparou, a Valter Cardoso não se podem atribuir culpas, pelo não cumprimento de parte dos seus deveres, entendendo por isso arquivar o processo. O órgão da FPAK decidiu de acordo com os factos que teve à sua disposição depois de inquiridas todas as testemunhas, e apesar de toda a tempestade, qual ciclone, que andou pelas redes sociais, o mais importante disto tudo é que ninguém se magoou.

Luís Rego Jr., que acabou o ano como Campeão de Ralis dos Açores, foi o primeiro a reagir nas redes sociais: “Caros amigos, a sentença conhecida, esta semana, em relação ao processo que resultou dos acontecimentos do Pico deixa-nos tristes e preocupados. A decisão está tomada e nada a vai alterar por muito errada que nos pareça, pelo que preferimos deixar passar algum tempo que nos permitisse, calmamente, ponderar no assunto.
Mas sentimos que era devida, a todos os que nos apoiam, a todos os adeptos dos ralis e mesmo a todos os colegas que connosco fazem ralis, uma palavra que não pode deixar de ser de revolta.
Sejamos claros, a aplicação de uma qualquer pena aos nossos adversários não nos beneficia em nada. Nós fomos os únicos prejudicados num processo no qual não tivemos qualquer culpa, nem tivemos possibilidade de o evitar. Mas isto são águas passadas.
O que é preocupante é o grave precedente que foi criado com claras implicações ao nível da segurança de todos nós, pilotos e navegadores, e da possibilidade de se adulterar de forma fácil e grosseira a verdade desportiva de um qualquer rali.
O que fica, portanto, em causa é o próprio desporto e o grau de confiança com que cada um de nós vai fazer corridas a partir de agora.
Esta decisão vem passar uma carta em branco em que, basicamente, fica assente que basta alegar problemas físicos ou desnorte momentâneo para justificar seja o que for. Dificilmente haverá situação mais grave e potencialmente perigosa para a integridade física de todos nós, pilotos, do que aquilo que aconteceu no Pico.
Será preciso que alguém se magoe a sério para que se faça alguma coisa?”, escreveu Luís Rego Jr.

Bernardo Sousa também reagiu, dando a sua visão das coisas: “A recente decisão do CD da FPAK é para nós, naturalmente, motivo de satisfação, e sabemos que foi feita justiça, porque só nós conhecemos todos os factos.
Se é uma verdade indesmentível que o nosso adversário e colega Luís Rego foi prejudicado neste acidente, não é menos verdade que nós imediatamente lamentámos o ocorrido e até abdicámos, por opção, de lutar pela vitória no campeonato, semanas antes de qualquer suspensão por parte do CD da FPAK. Esta atitude sem precedentes até hoje não foi reconhecida, apesar de demonstrar que nunca pretendemos tirar partido da situação.
As recentes declarações do nosso colega Luís Rego, pessoa por quem sempre tive muito respeito como piloto e como homem de bem, são ofensivas e lesivas do nosso bom nome, uma vez que, implicitamente me acusa e ao meu navegador de “adulterar de forma fácil e grosseira a verdade desportiva de um qualquer rali” e “que basta alegar problemas físicos ou desnorte” para evitar sanções.
Sobre este assunto quero sublinhar que apresentámos dados irrefutáveis e não meras alegações que corroboram a nossa versão dos factos.
Entristece-nos a facilidade e leviandade com que muitas pessoas fazem acusações e condenações sem o conhecimento cabal dos factos, e não posso deixar de manifestar a minha surpresa pelas palavras do meu colega Luís.
Desta vez aconteceu a nós, esperemos que não aconteça a mais ninguém, pois posso assegurar que as sequelas não mais me abandonarão.
Esperamos que 2019 seja um ano pleno de competitividade e desportivismo.
Obrigado pelas mensagens de apoio”, escreveu Bernardo Sousa.

assinaturas

2
Deixe um comentário

Please Login to comment
  Subscribe  
Notify of
ramedlaV
Membro
ramedlaV

Finalmente uma reacção Bernardo, o Rego está sendo influenciado por terceiros pois acredito que não seja leviano.

ZeCambota
Membro
ZeCambota

Este sr Rego merecia era um pontapé no “dito”. Parece-me uma conversa de uma baixesa gritante. Então o outro gajo desiste de participar no último rali que seria a única forma de realmente “adulterar de forma fácil e grosseira a verdade desportiva” e ele continua a bater na mesma na tecla, com a mesma insinuação? Isto independentemente de achar que o co-piloto do outro carro falhou na sua missão, mas só quem lá estava é que tem os dados todos para poder julgar. Agora armar peixeiradas é que não têm interesse nenhum nestes casos.

últimas CRA
últimas Autosport