/formula1/f1/gp-italia-f1-notas-autosport-parte-1/
GP Itália F1: Notas AutoSport (parte 1) | AutoSport

GP Itália F1: Notas AutoSport (parte 1)

Por a 14 Setembro 2021 14:30

Por Fábio Mendes e Pedro Mendes

É tempo de fazer o balanço final do espetacular GP de Itália e de atribuir as notas aos pilotos e equipas. 

McLaren – Uma dobradinha sensacional

A McLaren ameaçava desde o início do ano. Se a oportunidade surgisse, a equipa estaria preparada para tentar algo mais que um simples pódio. A competitividade do carro e a excelente forma de Lando Norris fazia os responsáveis sonhar, mas a pausa de verão deu-nos um revigorado Daniel Ricciardo que vai encontrado soluções para os problema da primeira metade da época. A pista de Monza, com as suas longas retas era o terreno ideal para um dos carros mais rápidos em reta e o incidente entre Max Verstappen e Lewis Hamilton facilitou a tarefa. Desengane-se quem pensa que a McLaren venceu graças a azares alheios. Ricciardo e Norris aguentaram a pressão de Verstappen e Hamilton durante muito tempo e tinham andamento para lutar pela vitória, mas o acidente ajudou. Ricciardo esteve irrepreensível durante todo o fim de semana, um tudo nada acima de Norris que também manteve a bitola exibicional. Pela primeira vez pudemos ver os “estragos” que esta dupla pode fazer. Mais que isso, a McLaren esteve perfeita na estratégia usada, nas paragens, na gestão da corrida. O que vimos em Monza foi um vislumbre do que pode ser esta equipa, uma espécie de regresso aos bons velhos tempos em que a McLaren era uma das melhores equipas. Está a caminho de o voltar a ser, com o entusiasmo de Zak Brown, o génio de James Key, a gestão minuciosa de Andreas Seidl e o talento de Norris e Ricciardo.

McLaren- Nota 10

Daniel Ricciardo – Nota 10

Lando Norris – Nota 9

Mercedes – Salvou Bottas

Colocando de lado, por alguns momentos, o incidente entre Lewis Hamilton e Max Verstappen, podemos afirmar que a equipa colocou à disposição dos seus pilotos uma boa máquina em Monza. Foram mais rápidos nos treinos e pareciam ter tudo para conseguir um bom resultado na qualificação. Assim aconteceu, os dois pilotos nas duas primeiras posições, mas uma má largada de Lewis Hamilton na Sprint, quase deitou tudo a perder. A gestão das unidades motrizes levou a que Valtteri Bottas tivesse de sofrer penalizações por instalação de novas unidades. Assim, sabendo ainda antes da partida da Sprint, que Valtteri Bottas fizesse o que fizesse, sairia do último posto da grelha na corrida, a perda de posições após o apagar das luzes por Hamilton, colocou pressão onde parecia não existir. Aquele que dentro da equipa tem mais a perder, complicou.
Recuperando o episódio do acidente entre os dois pilotos que discutem o campeonato, a equipa não está isenta de culpas, já que foi um erro na paragem de Hamilton que o colocou em rota de colisão com o piloto da Red Bull. Seria talvez um erro que passaria em claro, se não tivesse havido o acidente e se o piloto não tivesse abandonado.
Valtteri Bottas salvou a equipa, que conseguiu graças ao finlandês acumular mais pontos que a adversária direta e não podemos deixar passar, que Bottas saiu para a última volta da Q3 à frente de Hamilton, para dar uma ajuda ao colega de equipa.
A equipa merecia mais em Itália, Bottas cunhou o anúncio da saída da equipa com uma bela exibição e Hamilton comprometeu quando tinha tudo para fugir a Max Verstappen. E não nos referimos ao acidente, mas sim à má largada na Sprint.

Mercedes – Nota 8
Lewis Hamilton – Nota 6
Valtteri Bottas – Nota 9

Ferrari – Quem dá o que tem…

Não foi um bom fim de semana para a Scuderia mas olhando à performance dos carros, não se pode dizer que tenha sido uma má operação para os italianos. Esperava-se um pouco mais da Ferrari em casa, mas o carro não permite mais e os pilotos maximizaram o que o carro tinha para dar. Leclerc fez uma excelente exibição num fim de semana duro para o monegasco que entre problemas na unidade motriz na qualificação e outros problemas, talvez de ordem fisiológica, não teve uma progressão limpa ao longo do fim de semana o que poderia ter tirado o foco, mas o monegasco esteve muito bem na corrida Sprint e ainda melhor no domingo. Já Carlos Sainz… começa a acumular demasiado erros. Hungria, Spa, Países Baixos e agora Monza. Já é muita fibra de carbono partida em treinos, algo que vai minando a confiança do espanhol. Apesar disso fez uma corrida positiva, mas se continuar assim, ou se os erros começarem a acontecer em pista, poderá sofrer do mesmo que sofreu Sebastian Vettel.

Ferrari – Nota 8

Charles Leclerc – Nota 8

Carlos Sainz – Nota 6

Parte 2 AQUI

Parte 3 AQUI

Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
últimas F1
últimas Autosport
f1