/formula1/f1/f1-como-estao-as-lutas-internas-ate-ao-momento/
F1: Como estão as lutas internas até ao momento? | AutoSport

F1: Como estão as lutas internas até ao momento?

Por a 18 Abril 2018 15:19

Além das lutas contra os adversários os pilotos têm também de ter em conta os colegas de equipa. São o primeiro ponto de referência e a primeira pessoa a bater em pista, pois são os únicos que têm um carro igual. O sucesso na F1 depende sempre da máquina que se tem em mãos, mas com o colega de equipa essa “desculpa” já não é válida pois o material (na maioria das vezes) é igual para os dois. Vamos fazer um breve ponto de situação das lutas internas:

 

Ferrari – Vettel a superiorizar-se

Sebastian Vettel foi um dos melhores de 2017 e parece continuar com o mesmo nível em 2018. O alemão já venceu por duas vezes este ano e segue líder do campeonato. Vettel tem aliado boas prestações em qualificação com performances muito sólidas em corrida. Raikkonen tem mostrado um rendimento superior ao de anos anteriores e está na melhor forma que temos visto desde que regressou à Ferrari. Não chega ainda para se superiorizar ao seu colega de equipa mas deve ser das lutas mais equilibradas até agora. Vantagem Vettel.

 

Mercedes – Início atípico para os Flechas de Prata

Já lá vai algum tempo desde que não vemos a Mercedes a vencer. Continuam a ser uma das maiores forças do grid, mas deixaram de ser os únicos com esse poder e têm agora concorrência forte na luta pelo título. No ano passado a equipa passou por uma situação similar e recuperou na ronda europeia mas este ano a Ferrari parece ainda mais forte. Hamilton é segundo classificado e nas duas primeiras corridas do ano mostrou os argumentos do costume. No entanto na China esteve abaixo do que se espera dele, não apenas ao nível da performance mas também ao nível da atitude. Bottas por seu lado começou mal o ano, recuperou o ânimo das duas corridas seguintes mas tem sido acusado de ser demasiado “mole” para lutar pelo título. A ultrapassagem de Ricciardo é apontada como exemplo mas Bottas foi pragmático e resolver trazer pontos do que ficar encostado no meio da pista. Ainda não chega para ameaçar Hamilton e tem de continuar a evoluir como fez nas duas últimas provas. Vantagem Hamilton.

 

Red Bull  – Verstappen demasiado pressionado

Algo de estranho se passa com Verstappen que está a acumular erros em demasia neste arranque de época.  Não houve ainda uma corrida que não víssemos um erro do holandês que prejudicasse a sua corrida. Já Ricciardo está bem e recomenda-se. Não teve sorte no Bahrein mas teve uma prestação sólida na Austrália e na China foi mágico.  Vantagem Ricciardo.

 

McLaren – Alonso de volta à ribalta

A mudança da McLaren para a Renault animou Alonso e as prestações do espanhol têm sido excelentes. Alonso não sabe pilotar mal e está sempre no sítio certo e à hora certa. Tem levado a McLaren às costas, um pouco à imagem do que fez na Scuderia. Está bem e vai animar muitas corridas este ano. Já Vandoorne está mais discreto. As circunstâncias não o favorecem mas precisa fazer mais e melhor. Vantagem Alonso.

 

Renault – Hulkenberg sempre regular

A Renault aos poucos vai melhorando e apresentando mais argumentos. Hulkenberg tem sido dos mais regulares em pista, usando o princípio da F1 que diz que se não dá para brilhar, ao menos que dê para pontuar. Hulk está no restrito lote de cinco pilotos que pontuaram em todas as provas até agora (Com Vettel, Hamilton, Bottas e Alonso). Já Sainz tem desiludido para já e não está a mostrar o que se esperava nesta nova fase. Vantagem Hulkenberg.

 

Toro Rosso – Um campeão sem chama

Brendon Hartley pode ser campeão do WEC mas ainda não convenceu na F1. As prestações tem sido muito discretas e  tem sido ofuscado por Gasly. O francês está em bom nível e o erro da China é normal num rookie. Vai errar mais mas tem mostrado potencial para o futuro. Vantagem Gasly.

 

Haas – Magnussen de regresso às boas exibições

O dinamarquês está a provar porque foi considerado uma das promessas da F1 num passado recente. Boas exibições e bom andamento no primeiro ano em que se manteve numa estrutura. A estabilidade está a fazer-lhe bem e os resultados estão à vista. Grosjean tem se queixado do carro e disse que as características da máquina favorecem o colega de equipa. Para já está muito longe do rendimento de Kevin. Vantagem Magnussen.

 

Sauber – A inexperiência paga-se caro

Leclerc é um jovem cheio de potencial mas tem cometido alguns erros nas primeiras corridas. Os piões têm se sucedido mas não é nada de grave. Também já mostrou que tem qualidade e que vai brilhar. Ericsson conquistou os primeiros pontos da equipa este ano e está motivado. Para já cumpre a obrigação e leva a melhor sobre o companheiro. Vantagem Ericsson.

 

Force India – À espera de melhorias

O carro ainda não está no ponto e há muito trabalho para fazer. Ocon e Perez tem evidenciado um ritmo semelhante e têm feito de tudo para contrariar o mau momento da equipa. Ocon tem um ponto e Perez podia ter repetido o feito do francês mas o Safety Car estragou os planos do mexicano. Está a ser um início ingrato para quem tem ambição de dar o salto. Vantagem Ocon.

 

Williams – Nas ruas da amargura

Um arranque péssimo, ao nível da performance do carro. Muito trabalho pela frente na Williams que tem o handicap de ter dois pilotos inexperientes o que dificulta ainda mais a tarefa. As prestações de Sirotkin e Stroll tem sido equivalentes mas os arranques do canadiano continuam a ser um ponto forte. Não há muito mais a dizer… Vantagem Stroll.

 

Caro leitor, esta é uma mensagem importante.
Infelizmente o Autosport não pode continuar a disponibilizar os seus artigos gratuitamente.
Já não é viável ter uma equipa de jornalistas profissionais sem que possamos vender o produto do nosso trabalho.
Tal como os jornais e revistas são pagos, também os conteúdos editoriais digitais terão que ser pagos.
Por favor subscreva o Autosport Exclusivo e ajude-nos a manter esta máquina em andamento!
São apenas 2€ por mês, subscreva agora AQUI
Subscribe
Notify of
16 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Caro leitor, esta é uma mensagem importante.
Infelizmente o Autosport não pode continuar a disponibilizar os seus artigos gratuitamente.
Já não é viável ter uma equipa de jornalistas profissionais sem que possamos vender o produto do nosso trabalho.
Tal como os jornais e revistas são pagos, também os conteúdos editoriais digitais terão que ser pagos.
Por favor subscreva o Autosport Exclusivo e ajude-nos a manter esta máquina em andamento!
São apenas 2€ por mês, subscreva agora AQUI
últimas F1
últimas Autosport
f1