/ralis/cnr-campeonato-nacional-de-ralis/rallye-vidreiro-centro-de-portugal-marinha-grande-pode-decidir-titulo/
Rallye Vidreiro Centro de Portugal Marinha Grande pode decidir título | AutoSport

Rallye Vidreiro Centro de Portugal Marinha Grande pode decidir título

Por a 15 Outubro 2021 07:54

Armindo Araújo e Luís Ramalho podem assegurar o título já no Rallye Vidreiro Centro de Portugal Marinha Grande. A prova realiza-se 6ª e sábado, e é o primeiro de dois ‘match point’ para o líder do campeonato. Vamos ver é se é necessário ‘tie-break’ em Mortágua…

A duas provas do fim do campeonato, e depois do triunfo no Rallye Serras de Fafe e Felgueiras, um eventual triunfo na prova do CAMG seria suficiente para chancelar a competição para Armindo Araújo e Luís Ramalho, mas se as contas ficam resolvidas com um triunfo, também se podem complicar imenso tendo em conta o lote de favoritos a um eventual triunfo, ou bom resultado nesta prova.
Tudo o que ficar para lá de um possível triunfo de Armindo Araújo redunda num rol imenso de contas, que só uma folha de cálculo e as suas imensas possibilidades podem fazer alguma luz sobre o assunto.
O Campeonato de Portugal de Ralis entra na reta final com quatro pilotos com hipóteses matemáticas de serem campeões: Armindo Araújo, Ricardo Teodósio, Bruno Magalhães e José Pedro Fontes.
Claro que as hipóteses variam imenso, na proporção inversa aos números que apresentam neste momento mas com as duas provas que faltam, nem mesmo José Pedro Fontes pode ser descartado, pois é habitualmente muito forte nas provas de asfalto (Vidreiro) e esteve muito perto de ganhar o último Rali de Mortágua que se realizou.
Portanto, tudo pode acontecer, ainda que as maiores hipóteses são, na devida proporção, de Armindo Araújo e Ricardo Teodósio, e mesmo assim ambos estão separados por treze pontos.
Até aqui e com seis provas realizadas, Armindo Araújo soma 133 pontos fruto de três triunfos, um 2º, um 3º e um 5º lugar. Já mais três pilotos venceram ralis, Ricardo Teodósio venceu o Rali Terras d’Aboboreira, logo a abrir o campeonato, Bruno Magalhães venceu o CPR na Madeira e José Pedro Fontes triunfou no Rali da Água-CIM Alto Tâmega. Isto prova a competitividade do campeonato, todos os principais candidatos venceram provas, e há nuances que deixam perceber que o Rallye Vidreiro Centro de Portugal Marinha Grande deverá ser um rali muito disputado, quiçá decisivo nas contas.


Organizado pelo Clube Automóvel da Marinha Grande, a prova vai para a estrada nos dias 15 e 16 de outubro, sexta e sábado, e este ano conta com um novo figurino.
Este ano, a sétima prova do CPR regressa aos concelhos de Pombal e Leiria, mantendo como habitualmente a ‘sede’ na Marinha Grande, onde se disputam três das sete especiais da prova e ainda os Treinos Livres, Qualificação e Shakedown.
Mantendo grande preocupação com a segurança, e ainda na memória o trágico acontecimento de 2020, o Clube Automóvel da Marinha Grande implementou uma medida inovadora na edição deste ano, que dará a possibilidade aos pilotos de efetuar o aquecimento de pneus numa área reservada de um quilómetro que antecede cada especial da prova: “Mais do que nunca, sentimos a necessidade de continuar a desenvolver novas técnicas de promover a segurança nos ralis.
Esta zona de aquecimento de pneus, que consiste numa zona reservada pré-partida, com um quilómetro, evitará que a quando da neutralização de um troço, os pilotos partam para a especial sem a possibilidade de aquecer pneus. Esta é uma inovação que nos parece beneficiar todos, sem prejudicar a componente desportiva da prova”, disse Tiago Nunes, Diretor de Prova.
A lista de inscritos ainda não é conhecida, mas não deverá diferir muito do que se tem visto noutros ralis ‘só’ CPR, sendo que o destaque vai todo para as equipas que lutam pelos títulos. No CPR, Armindo
Araújo e Ricardo Teodósio tudo vão fazer para dilatar ou reduzir, conforme o pontos de vista, as contas, José Pedro Fontes é talvez o principal favorito, pois é rápido em asfalto e já ganhou a prova três vezes, nos últimos 10 anos.
Bruno Magalhães teve algum tempo para preparar melhor esta prova em asfalto e sendo o carro bom, também deverá estar na luta, até porque ainda tem hipóteses de chegar ao título e um triunfo numa prova que ganhou três vezes entre 2007 e 2009, é apetecível. Pedro Meireles triunfou neste evento em 2017 e 2020, pelo que tem também de ser tido em conta apesar dos azares recentes.
Nos 2WD, o campeonato está em aberto, com Carlos Fernandes (67 pontos), na frente de Ernesto Cunha (54) Pedro Almeida (50) e Ricardo Sousa (40) pelo que quem marcar presença pode fazer uma boa operação de campeonato. O Campeonato de Portugal GT de Ralis está também em aberto entre Vítor Pascoal (75 pontos) e Paulo Carvalheiro (66,5). A prova conta ainda para os campeonatos de Portugal Clássicos de Ralis, Júnior de Ralis, Campeonato Centro de Ralis, Desafio Kumho e Kia Picanto Rally Cup.

Rali muito revisto
O rali terá cerca de 100 km cronometrados, num total de cerca de 250 km de extensão. Na sexta-feira, pela manhã, os primeiros classificados do Campeonato de Portugal de Ralis avançam para a estrada para a realização do Free Practice e Qualifying Stage, em São Pedro de Moel. Num dia integralmente disputado na Mata Nacional, segue-se o Shakedown e, mais ao final do dia, a primeira especial da prova, Super São Pedro, a maior especial da prova com cerca de 20km de extensão.
Para sábado, o CAMG programou 3 especiais, repetidas por duas vezes, que começam na região de Pombal (Mata Mourisca), regressando depois à zona limite dos concelhos de Leiria e Marinha Grande (Amor) e culminando numa versão mais curta da especial de São Pedro de Moel.
Para o diretor de prova, este é “o figurino que melhor se aplica ao nosso rali e que nos permite contar com mais público na estrada, nas diversas especiais. Este será um rali decisivo nas contas do Campeonato e por isso foi preparado meticulosamente por toda a equipa do clube, que pensou e preparou cada quilómetro da prova, a pensar apenas e só na componente desportiva e na segurança”, garantiu.

Horário
Sexta-Feira, 15 de outubro
PE1 Super S.Pedro de Moel 19,50 Km 16:30
Assistência A (Marinha Grande) 17:10

Sábado, 16 de Outubro
PE2 Mata Mourisca 1 16,22 Km 9:45
PE3 Amor 1 9,35 Km 11:00
PE4 S.Pedro de Moel 1 12,79 Km 12:00
Reagrupamento Marinha Grande 12:30
Assistência C (Marinha Grande) 13:00
PE5 Mata Mourisca 2 16,22 Km 14:15
PE6 Amor 2 9,35 Km 15:30 Km
PE7 S.Pedro de Moel 2 12,79 Km 16:30
Assistência D (Marinha Grande) 17:00

Palmarés recente da prova:
2020: Pedro Meireles/Mário Castro Volkswagen Polo GTI R5
2019: José Pedro Fontes/Inês Ponte Citroën C3 R5
2018: Armindo Araújo/Luís Ramalho Hyundai i20 R5
2017: Pedro Meireles/Mário Castro Škoda Fabia R5
2016: José Pedro Fontes/Inês Ponte Citroën DS3 R5
2015: Ricardo Moura/António Costa Ford Fiesta R5
2014: José Pedro Fontes/Inês Ponte Porsche 997 GT3 Cup 3.8
2013: Bernardo Sousa/Hugo Magalhães Ford Fiesta S2000
2012: Ricardo Moura/António Costa Mitsubishi Lancer Evo IX
2011: Ricardo Moura/António Costa Mitsubishi Lancer Evo IX

Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
últimas CPR - CAMPEONATO DE PORTUGAL DE RALIS
últimas Autosport
cnr-campeonato-nacional-de-ralis