/formula1/f1/f1-hannah-schmitz-ouvimos-tudo-mas-no-final-e-uma-decisao-estrategica/
F1, Hannah Schmitz: “Ouvimos tudo, mas no final, é uma decisão estratégica” | AutoSport

F1, Hannah Schmitz: “Ouvimos tudo, mas no final, é uma decisão estratégica”

Por a 2 Agosto 2022 09:45

Mais uma vez, a questão da estratégia decidiu o vencedor do Grande Prémio da Hungria. Não poucas vezes as decisões estratégicas abrem as portas à vitória e desta vez a Red Bull voltou a ser mais forte neste capítulo, ao contrário da Ferrari que acabou por ficar limitada nas suas decisões. A responsável pela estratégia é Hannah Schmitz, que, juntamente com a sua equipa de estratégia, toma as decisões finais. A britânica voltou a ser decisiva e colocou Max Verstappen em posição de vencer a corrida.

Em declarações à Sky Sports F1, Schmitz explicou o processo que levou à decisão de começar com os pneus macios, o que acabou por se revelar a opção correta:

“Como estávamos a começar fora de posição, uma das decisões mais habituais seria começar com pneus mais duros, fazer um primeiro stint mais longo, especialmente na Hungria, onde as ultrapassagens são mais complicadas. Mas falamos muito antes da corrida sobre as condições, caso a pista estivesse húmida, ou as temperaturas fossem mais baixas, o que era esperado, e estávamos a considerar os pneus macios, pois eram os mais indicados para essas condições. Nas voltas para a grelha os pilotos já sentiam pouca aderência, apesar de já estarem com os pneus mais macios. Os engenheiros de pista disseram-nos que os pneus duros não eram boa opção e falamos longamente com todos, inclusive com o Christian [Horner] e decidimos optar pelos pneus macios. Havia alguma chuva no ar, pelo que eram os pneus mais indicados para aquelas condições. A nossa preocupação era conseguirmos um bom progresso no primeiro stint, e os nossos pilotos conseguiram isso.”

Claro que estas decisões são fruto de muita ponderação e análise de dados, como explicou:

“Durante o fim de semana o ambiente é muito colaborativo, todas as pessoas falam e colocam os seus pontos de vista, pois não se trata apenas de números e dados, as sensações dos pilotos são também muito importantes, os dados dos engenheiros de pista são também importantes e eles olham para diferentes dados em relação aos estrategas. Ouvimos tudo, mas no final, é uma decisão estratégica, por isso somos nós que tomamos essas decisões, usando o máximo de informação possível.”

Schmitz admitiu que a Ferrari acabou por ficar numa situação complicada, com o arranque com pneus médios:

“A corrida da Hungria foi excitante para os estrategas, pois tivemos de tomar muitas decisões, ao contrário das corridas onde há apenas uma paragem. Tentamos fazer com que os ´undercuts´ funcionassem. A Ferrari começou nos médios e já tinha usado dois conjuntos, por isso só teria os duros ou os macios, o que acabou por se tornar numa decisão complicada. Da nossa parte, começamos com os macios e tínhamos dois conjuntos de médios para os nossos pilotos, o que acabou por ser o melhor pneu para a corrida.”

Subscribe
Notify of
1 Comentário
Inline Feedbacks
View all comments
Pitão
Pitão
1 mês atrás

Isto serve para ver se a Ferrari aprende qq coisa, porque para RB está a ficar demasiado fácil e eles querem mais luta, caso contrário vão ser campeões a 4 ou 5 corridas do final…

últimas Destaque Homepage
últimas Autosport
destaque-homepage