Sandell “voou” mais alto no JWRC

Por a 5 Agosto 2007 14:07

Depois do segundo lugar obtido na Noruega, Patrick Sandell assegurou a primeira vitória no Campeonato do Mundo Júnior, oferecendo à Renault o primeiro triunfo nesta competição com um carro com as especificações “R3”. Portanto, antes de qualquer constatação, ficou provado que a hierarquia dos S1600 está definitivamente ameaçada e que os emergentes “R3” (Grupo A até 2 litros com caixa sequencial) têm um futuro risonho à sua frente.

Contudo, a verdade é que o triunfo do sueco do Clio também não foi “chegar, ver e vencer” uma vez que Sandell só se pôde instalar confortavelmente no comando a meio da segunda etapa quando o Citroen C2 S1600 de Martin Prokop se desencontrou com os limites da estrada e viu a quebra do radiador do carro francês hipotecar qualquer possibilidade de se estrear a vencer.

Mas, se Sandell estava no lugar certo, na hora certa, Jukka Pinomaki, talvez por se encontrar também ao volante de um Clio “R3” seguiu o seu exemplo subindo à segunda posição após a 17ª especial quando Conrad Rautenbach furou e partiu uma das pinças dos travões do C2 S1600. Ora, com sorte ou não, a verdade é que contas feitas no final das 23 especiais, o resultado foi: Renault 2, Citroen 0! Sinal mais também acabou por dar Michal Kosciuszko (oferecendo o pódio completo à Renault) que bateu Vilius Rozukas (Suzuki Swift S1600), na parte final do rali depois de Alessandro Bettega ter perdido a hipótese de subir ao pódio na sua estreia com um Suzuki e de Josez Bères (Renault Clio S1600) ter saído de estrada no início da segunda etapa quando ocupava precisamente também a terceira posição.

Na contabilidade do campeonato, é que não se pode dizer que tenha existido qualquer alteração importante pois mesmo marcando a Finlândia como a prova de ausência obrigatória (dos sete ralis, os pilotos só podem fazer seis), os dois pilotos da Suzuki, Pier-Gunnar Andersson e Urmo Aava, mantiveram a liderança. Mas, o certo é que as coisas poderão ser diferentes no futuro uma vez que o piloto sueco não tem ainda assegurada a sua presença no Rali da Alemanha pois viu a sua carta ser-lhe confiscada pelas autoridades quando rodava numa estrada a 137 km/h numa zona de limite de 70 km/h!

últimas Ralis
últimas Autosport