/formula1/f1/lewis-hamilton-e-as-100-vitorias-e-um-momento-magico/
Lewis Hamilton e as 100 vitórias: “É um momento mágico…” | AutoSport

Lewis Hamilton e as 100 vitórias: “É um momento mágico…”

Por a 27 Setembro 2021 10:42

Lewis Hamilton assegurou na Rússia a sua 100ª vitória na Fórmula 1. Um feito notável, histórico. Depois de ultrapassar os 91 triunfos de Michael Schumacher, anterior recorde, e os 53 de Sebastian Vettel, terceiro ‘classificado’ desta lista, o piloto inglês chega a um número absolutamente fantástico. Uma curiosidade: Duas foram em Portugal, no AIA: “Levei muito tempo para chegar às 100 vitórias, e esta de hoje, eu nem sequer tinha a certeza se viria ou não. Nesta corrida, o Lando fez um trabalho espantoso, teve um ritmo incrível. Ele está a fazer um trabalho fantástico na McLaren. Foi muito agridoce, obviamente, ver a minha antiga equipa à frente. Eles estão a muito bem, estão a fazer um trabalho fantástico, é bom vê-los novamente unidos. Quanto a nós, tomámos uma boa decisão no final. Não queria deixar o Lando fugir, e não sabia o que se estava a passar com o tempo, mas agora estou incrivelmente grato a todos estes homens e mulheres que estão aqui e na fábrica, porque, uau! 100…”, começou por dizer Lewis Hamilton, que explicou como aqui chegou: “Perdi muito terreno no início da corrida pois fiz tudo para ficar afastado dos problemas. Obviamente, o Max fez um excelente trabalho para chegar ao segundo lugar”, disse Hamilton que explicou ter sido a chuva, e as consequentes decisões tomadas pelas equipas, que determinaram o desfecho: “Com a pista seca teria sido difícil passar pelo Lando. Ele tinha um grande ritmo, fez a volta mais rápida, por isso teria sido difícil passar por ele, a menos que tivéssemos tráfego ou algo assim, ou ele cometesse um erro, o que ele não tem feito, de todo. Depois veio a chuva, e fomos muito oportunistas. Como disse, a equipa fez um trabalho espantoso, por isso um grande, grande obrigado a eles. Não há nada que eu possa fazer sobre quem está atrás de mim. Este é um resultado de sonho para Max, naturalmente, mas estou grato pelos pontos”.
Quanto à 100ª vitória, Hamilton explicou o que isso significa para si: “É um momento mágico. Só poderia ter sonhado em continuar aqui e ter esta oportunidade de ganhar estas corridas e, de pilotar contra um talento tão fenomenal no final da minha carreira e de continuar a construir com a Mercedes, da qual tenho tanto orgulho em tudo o que fizemos, não só na pista mas também fora dela e sim, este é um momento muito especial para todos os que fizeram parte deste percurso. Tenho tido a equipa mais incrível. De volta a casa, na minha pequena equipa pessoal no Projecto 44, e depois, obviamente, tem a Angela, a Ellen, o Omar, o meu motorista, o Lloyd que está aqui comigo, a minha segurança. Sinceramente, há demasiados nomes para nomear, mas há outros que estão comigo desde há 18 anos. Estarei sempre grato pelo seu contínuo apoio, e crença, em mim. Aos meus pais também. Ao meu pai… Mesmo ainda ontem à noite, tal como na primeira corrida que tive, ou no primeiro campeonato em que lutei quando tinha oito anos, o meu pai enviou-me mensagens ou telefonou-me ontem à noite, e ele sempre foi aquele que me tranquilizou e continuou a apoiar-me, por isso sim. E como eu disse, houve momentos em que nem sequer sabia se isto iria acontecer. Por isso, sinto-me incrivelmente grato pelo incrível apoio que tenho tido. Especialmente à Equipa LH, têm sido mágicos durante tanto tempo. Não o poderia ter feito sem eles”, disse Hamilton, que confirmou ter sido da equipa a decisão de mudar para pneus intermédios: “não posso ficar com os louros dessa incrível decisão, que foi da equipa. Estive muito tempo em terra de ninguém, não sabia realmente onde estava na corrida. Não fazia ideia de quão longe o Lando estava à frente. Estava apenas a tentar definir o melhor tempo em cada volta. A McLaren estava incrivelmente rápida, e o Lando estava a fazer um trabalho realmente fantástico. Só nesses últimos momentos, quando a pista ficou escorregadia, o Lando saiu na curva 5, e eu percebi que talvez voltasse a acontecer. Mas depois chamaram-me e eu fiquei tipo: ‘Sim, mas ele está mesmo ali!’. Teria apenas três voltas para recuperar 24 segundos. Não fiquei convencido na primeira volta, mas na volta seguinte choveu mais e eu seria definitivamente mais rápido e fiquei convencido na altura, por isso entrei e troquei de pneus.

Subscribe
Notify of
2 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
FormulaTwo+1
FormulaTwo+1
24 dias atrás

Sem comentários…

speedy68
speedy68
23 dias atrás

Decisão rápida e exata da Mercedes; pena a McLaren não ter obrigado o Norris a fazer o mesmo .

últimas F1
últimas Autosport
f1