/formula1/f1/f1-novos-combustiveis-implicam-menos-performance/
F1: Novos combustíveis implicam menos performance | AutoSport

F1: Novos combustíveis implicam menos performance

Por a 14 Janeiro 2022 11:30

A revolução verde também já começou na F1 e este ano veremos os primeiros sinais disso nos carros, com a introdução de um combustível E10, uma mistura de 90% de combustível fóssil e 10% de etanol fabricado de forma sustentável. Mas isso traz desafios.

Segundo Helmut Marko, da Red Bull, a adição de etanol irá levar a uma diminuição da performance dos motores, pelo menos numa fase inicial:

“Honda está a trabalhar arduamente na adaptação [ao novo combustível]”, disse ele à Auto Motor und Sport. “O que eu ouço é positivo, mas o desempenho não é o mesmo que em 2021”.

Esta redução na performance deve-se à menor capacidade do etanol em fornecer a energia para a combustão. De uma forma muito simplista, o etanol fornece menos 8% de energia/litro em comparação com a gasolina e essa redução irá inevitavelmente sentir-se na potência dos motores. Assim o desafio dos fabricantes de motores estará em minimizar essa perda ou até anulá-la completamente. Mais ainda, com esta nova mistura, os engenheiros terão de rever componentes para otimizar a fiabilidade e longevidade dos motores. Há por isso desafios significativos para os fabricantes de unidades motrizes.

Subscribe
Notify of
2 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
gtman
gtman
3 dias atrás

Curiosamente a Hennessey e a Koenigsegg só atingem a potência máxima com 85% de etanol….porque o etanol diminui a detonação e podem usar-se taxas de compressão superiores. Algo vai mal no reino da Dinamarca.

clio001
clio001
Reply to  gtman
1 dia atrás

Obter 1000cv num motor de 5.2L é diferente de tirar 1000cv num motor de 1.6L. Não é só aumentar a taxa de compressão para compensar. Num motor de F1 praticamente está tudo otimizado ao máximo.

últimas F1
últimas Autosport
f1