F1: Grosjean e a importância de um psicólogo do desporto

Por a 7 Dezembro 2018 10:15

Romain Grosjean é um dos pilotos com pior fama na F1. Muito por culpa própria, mas também pela forma como os fãs nas redes sociais exageram na caricatura que fazem de alguns pilotos, Grosjean é visto como um piloto que erra muito, graças as primeiras épocas na Lotus onde acumulou erros graves, sendo que num deles, em Spa, levou uma penalização, ficando de fora por uma corrida.

O piloto explicou o que se passou no célebre acidente:

“Eu queria muito uma vitória. Eu acreditava que era possível, toda a equipa também acreditava. Eu estava a forçar demasiado, muito cedo, e cometi alguns erros nalgumas voltas naquele ano. Em Spa, eu precisava de um bom começo. Isso levou ao incidente da primeira volta, e eu paguei o preço. Foi um final de semana difícil. Eu estive mal, mentalmente, por alguns dias. Não conseguia pensar de forma correcta- eu não conseguia pensar em entrar no carro novamente.”

“Acima de tudo, estou feliz por ninguém se ter magoado. Aprendi uma lição – uma grande lição – naquele dia: uma corrida de F1 não é uma corrida de velocidade, é uma maratona. Fui apresentado a uma psicóloga desportiva em Paris alguns meses antes da corrida em Spa, e comecei a encontrar-me com ela regularmente após o Grande Prémio – e não parei desde então. As nossas sessões mudaram minha carreira e a minha vida. Como pilotos, estamos isolados e cometemos erros que têm impacto numa equipa composta por centenas de pessoas em todo o mundo. Uma das coisas mais importantes que tento tirar das nossas reuniões é a ideia do cenário geral. Que há muito mais numa corrida do que na 1ª volta. Que há muito mais numa temporada do que uma corrida. E há muito mais do que minha carreira na Fórmula 1. Eu sou pai, marido, aspirante a chef, todas essas coisas são importantes, e não é que eu não soubesse disso, mas tive de colocar algumas prioridades na minha vida melhorar mentalmente antes de conseguir voltar a ser mais rápido em pista.”

Grosjean é um exemplo para outros atletas de alta competição. Saber reconhecer as fraquezas em procurar ajudar merece ser louvado, quando lembramos de muitos casos que pilotos com grande talento e que não chegaram ao nível que poderiam por causa da parte mental. Daniil Kvyat é um desses exemplos, e aquela mensagem rádio de desespero quando foi obrigado a desistir no Mónaco ficará sempre como um dos momentos mais baixos da carreira do russo, que até à F1 era conhecido pelo seu sangue frio em pista.

A força mental é um trunfo tremendo na alta competição. Hamilton é a prova disso e desde que se tornou mais forte nesse aspeto (desde a entrada na Mercedes que lhe deu mais liberdade). A idade claramente é um fator decisivo, mas a forma como deixou de estar pressionado como era na McLaren ajudou a que o britânico pudesse ganhar mais confiança e agora é quase imbatível pois concilia o seu enorme talento com uma força mental igualmente grande. Vettel perdeu este ano provavelmente porque cedeu à grande pressão e mesmo Kimi Raikkonen com os vários erros na Q3, que o impediram de atingir melhores resultados pode também ter acusado alguma pressão. Não se pretende que este texto seja um ensaio sobre psicologia, até porque o seu autor está a milhas de ter qualquer tipo de conhecimento digno desse nome na área, mas é um facto que os melhores do mundo em qualquer área têm de ser fortes mentalmente e que quando não se consegue, há ferramentas que podem salvar uma carreira… como aconteceu com Grosjean.

 

Grosjean falou do acidente de Spa

Visualizou de 4 artigos abertos

O AutoSport limitou a 4, o número de artigos
que poderá ler sem fazer login
Para continuar a ler livremente
os artigos AutoSport,
por favor faça login aqui
Caso não esteja ainda registado,
faça agora aqui o seu
registo gratuito
  • Não é possível alterar o nome de utilizador.

    6
    Deixe um comentário

    Please Login to comment
    3 Comment threads
    3 Thread replies
    4 Followers
     
    Most reacted comment
    Hottest comment thread
    5 Comment authors
    MVMJabban26091744Manuel AraujoChic anal ysis Recent comment authors
      Subscribe  
    Notify of
    chic-anal-ysis
    Membro
    chic-anal-ysis

    Só não disseste o que toda a gente queria saber, comeste a psicóloga ou não ?

    driver-on-track
    Membro
    driver-on-track

    sim …. acho que a gaja é boazona….

    no-team
    Membro
    no-team

    Este Grosjean dá pena…

    2fast4u
    Membro
    2fast4u

    Da pena por não o poder ver num carro competitivo pois tenho a certeza que mudava de opinião

    MVM
    Membro
    MVM

    O que dá pena é ler os comentários desse indivíduo a quem se deu à maçada de responder. Detesta o Grosjean porque lhe atribui a culpa da perda do campeonato de 2012 pelo Alonso, imagine! Nunca vai reconhecer a qualidade de um piloto como o Romain Grosjean, mas como o Alfonso disse uma vez que o Hülkenberg é um grande piloto, esse comentarista não se cala com elogios ao Hulk – apesar de já ser mais que evidente, desde há muito tempo, que este último não tem estofo para estar na F1. Os fanáticos são mesmo assim…

    2fast4u
    Membro
    2fast4u

    Sem dúvida que a componente mental é importante em qualquer desporto, e na F1 é muito mais importante do que pode parecer. Nenhum piloto, seja o Hamilton ou o Ericsson está livre deste factor. Sem dúvida nenhuma que quando falamos no talento de um piloto o factor psicológico é um dos factores a ter em conta. Helmut Marko é a prova viva disso. O carácter de um piloto ajuda a ter a calma e confiança necessárias para atingir um nível de concentração “sobre-humano” (no qual Senna é o exemplo “vivo”), para ter uma noção exacta do grip, e estar completamente… Ler mais »

    últimas F1
    últimas Autosport
    AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/motosport.png