Emanuel Caldeira revalida título

Por a 23 Novembro 2008 15:20

O Rali Open da Calheta encerrou mais uma época madeirense de ralis com uma prova plena de animação desportiva ou não estivesse em caso a atribuição do título no campeonato open local da modalidade, a competição que nos últimos tempos tem conseguido juntar maior número de inscrições e adeptos. Na corrida ao ceptro estavam dois pilotos separados por poucos pontos e habituais actores principais na definição do pódio. O favorito ao triunfo era, contudo, Élvio Caires que havia ganho tanto nos ralis do Nacional como do Faial.

No entanto, o piloto do Citroën Saxo Kit Car não conseguiu aqui exercer o domínio exibido nas provas anteriores e acabou fora de estrada na perseguição ao líder de que nunca andara muito distanciado. Na frente da classificação esteve sempre Samir Sousa cujo Peugeot 206 RC apareceu ali muito melhorado e não permitiu quaisquer veleidades a uma muito motivada concorrência. Apesar de ter dado o seu melhor e de ter vencido com confortável vantagem num evento tão curto, o jovem porto-santense não conseguiu alcançar o seu objectivo principal.

Dado seu avanço no campeonato, a Emanuel Caldeira bastava controlar o andamento do seu rival e foi isso que o piloto do Ford Sierra Cosworth efectuou. Já com a sua viatura muito melhor afinada que no Faial, o piloto que renovou o título conseguiu cortar a meta na segunda posição e arrecadar o ceptro por um único ponto. Alheio a tal discussão, Bruno Coelho esteve novamente em grande plano com o Citroën C2 e completou o pódio.

Triunfo do esforço

Poucos serão os pilotos que poderão exibir no seu palmarés a conquista dum ceptro em todas as temporadas em que participaram regularmente no campeonato. Sempre com Vasco Mendonça como navegador, Emanuel Caldeira conquistou em 2008 o seu quarto título noutras tantas épocas, “o triunfo do esforço que fazemos e que nos obrigou este ano a mudar várias vezes de carro pois essas trocas viabilizaram financeiramente o projecto. Tivemos que nos empenhar a fundo, sobretudo com o Ford Sierra, mas conseguimos alcançar os nossos objectivos”.

Classificação

1º Team Olca – Nacional da Madeira/Samir Sousa/Duarte Miranda (Peugeot 206 RC), 32m55,7s; 2º Team Olca – Nacional da Madeira/Emanuel Caldeira/Vasco Mendonça (Ford Sierra Cosworth), a 19,0s; 3º Team Olca – Nacional da Madeira/Bruno Coelho/Paulo Freitas (Citroën C), a 42,0s; 4º José Mendes/Juan Pita (Ford Escort RS), a 1m47,5s; 5º Team CS Marítimo/Rui Nunes/Nuno Rodrigues (Ford Escort RS), a 1m53,6s; 6º Ricardo Andrade/Bruno Gouveia (Citroën Saxo), a 2m03,3s; 7º Miguel Andrade/Roberto Freitas (Renault 5 GT Turbo), a 2m30,1s; 8º Team Olca – Nacional da Madeira/Filipe Bettencourt/Carlos Teles (Citroën Saxo), a 2m59,9s; 9º Juan Santos/Márcia Santos (Renault Clio Ragnotti), a 3m23,8s; 10º Team Olca – Nacional da Madeira/Rui Jorge Fernandes/Carlos Gonçalves (Skoda Fabia RS TDi), a 3m24,6s; 11º Team Olca – Nacional da Madeira/Vasco Nóbrega/José Freitas (Toyota Carina E), a 3m36,4s; 12º Team CS Marítimo/André Silva/Rui Rodrigues (Toyota Yaris), a 3m38,1s; 13º Duarte Pereira/Nélio Martins (Ford Escort RS), a 4m07,5s; 14º Team Olca – Nacional da Madeira/Joana Fernandes/Sofia Pereira (Citroën Saxo), a 4m09,4s; 15º Roberto Cró/Paulo Freitas (Ford Sierra Cosworth), a 4m31,7s; 16º Team CS Marítimo/José Carlos Magalhães/Marco Leça (Toyota Yaris), a 5m23,2s; 17º Hélder Nóbrega/Ricardo Pita (Toyota Yaris), a 5m34,5s; 18º Nélio Velosa/Filipe Fernandes (Toyota Starlet), a 5m44,2s; 19º Amândio Rodrigues/Énio Andrade (Toyota Starlet), a 6m33,6s; 20º Team Olca – Nacional da Madeira/Dúlio Carvalho/Rufina Cardoso (Datsun 1200), a 6m57,8s; 21º André Camacho/João Freitas (Fiat Cinquecento), a 7m37,0s; 22º Aurélio Rodrigues/Dino Nóbrega (Toyota Yaris), a 7m49,4s; 23º Lino Silva/Nélio Pereira (Toyota Yaris), a 8m03,0s; 24º José Gouveia/Emídio Gouveia (Fiat Cinquecento), a 8m32,5s; 25º Rui Rodrigues/Bruno Viveiros (Fiat Cinquecento), a 10m01,3s

últimas Ralis
últimas Autosport