GP Japão F1: A pista é boa… vamos ver como será a corrida

Por a 9 Outubro 2019 16:24

A 17ª prova do Mundial de Fórmula 1 leva equipas e pilotos à Ásia, desta feita para Suzuka, casa do Grande Prémio do Japão. Suzuka nasceu como pista de testes da Honda, e até hoje é dos traçados que melhor fazem um ‘exame completo’ a qualquer carro.

O circuito desafia todos os principais aspetos do design e configuração dos carros em geral, Fórmula 1 em particular, e como é lógico, também expõe fraquezas. Neste contexto, talvez a Red Bull consiga fazer uma ‘gracinha’…

A eficiência aerodinâmica é crucial na primeira metade da volta, enquanto na segunda se dá mais ênfase à potência do motor, mas ainda assim não é nada fácil ultrapassar.

A pista contém uma distribuição incomum e uniforme de tipos de curvas, de baixas e altas velocidades. Para lidar com as severas cargas laterais transmitidas pelas repentinas mudanças de direção a alta velocidade em Suzuka, a Pirelli leva os seus três compostos mais duros para o Extremo Oriente.

Como se tornou comum, os pilotos estão a evitar o pneu mais duro, com apenas quatro deles a optar por um segundo conjunto. No outro extremo da escala, o pneu C3 (macio) é muito popular. Neste contexto, o duo da Mercedes tem oito ‘sets’ de pneus macios, a Renault e a Haas têm 10 sets, enquanto os restantes levam nove ‘sets’.

A vitória na Rússia aumentou a vantagem de Lewis Hamilton no Campeonato de Pilotos para 73 pontos sobre o companheiro de equipa, Valtteri Bottas.

Já a batalha atrás deles é intrigante, com as prestações de Charles Leclerc nas últimas quatro corridas a elevá-lo ao terceiro lugar, mas apenas três pontos à frente de Max Verstappen, piloto da Red Bull. Sebastian Vettel está 18 pontos atrás do holandês.

No meio do pelotão, Pierre Gasly ainda beneficia do facto de ter feito meia época com a Red Bull, mas Carlos Sainz (McLaren) já só está três pontos mais atrás. Desde eu foi para a Red Bull Alex Albon, tem pontuado bem em todas as corridas e está a aproximar-se rapidamente deste duo. Os restante rodam bem mais atrás.

Nos Construtores, a Mercedes tem agora uma vantagem de 162 pontos sobre a Ferrari. Se registarem mais 14 pontos que a Ferrari este fim de semana, serão virtuais campeões de Construtores.

No meio do pelotão, a McLaren reagiu bem ao bom resultado da Renault em Itália, mas desde aí os homens de Enstone afundaram-se e a McLaren tem agora 33 pontos de avanço. A cinco corrida do fim da época é significativo, tendo em conta que para lá do sexto lugar se pontua apenas um máximo de oito pontos para o melhor carro.

De resto, Toro Rosso, Racing Point e Alfa Romeo, têm-se alternado entre resultados melhores e piores, mas a Haas pontuou apenas uma vez nas últimas cinco corridas, e a Williams é o que se sabe.

De resto, vamos ver como o tufão vai afetar o fim de semana de Gradne Prémio.

Horário
Sexta-Feira, 11 Outubro
Treino livre 1 02:00 – 03:30
Treino livre 2 06:00 – 07:30
Sábado, 12 Outubro
Treino livre 3 04:00 – 05:00
Qualificação 07:00 – 08:00
Domingo, 13 Outubro
Corrida 06:10

Deixe um comentário

Please Login to comment
  Subscribe  
Notify of
últimas F1
últimas Autosport