F1, Sergio Pérez: “Isto é um campeonato de equipas, não de pilotos…”

Por a 20 Julho 2019 10:20

Sergio Pérez destacou as frustrações sofridas pelos pilotos que não competem nas três equipas da frente. O mexicano destacou que algo está errado com automobilismo ao mais alto nível:

“É algo mau para o desporto e para os pilotos. Tens pilotos fantásticos que nunca estiveram no pódio. É uma loucura isso acontecer”.

Pérez garante que as enormes diferenças não podem ser atribuídas aos pilotos, dizendo que a regulamentação de 2021 são uma grande oportunidade para mudar isso:

“Entre o melhor e o pior são mais de três segundos. Isto é completamente errado. Em 2021 espero que mantenham os carros rápidos. Gostava que a batalha que hoje temos entre o 16º e o 8º classificado fosse transmitida para toda a grelha.”

“Estar num campeonato que o piloto faça a diferença é isso que queremos. Neste momento, isto é um campeonato de equipas, não de pilotos.”

9
Deixe um comentário

Please Login to comment
  Subscribe  
Notify of
sr-dr-hhister
Membro
sr-dr-hhister

Sempre assim foi Pérez.

blurr
Membro
blurr

Ora nem mais. E queixa-se porque não se encontra nas 3 equipas…

RedDevil
Membro
RedDevil

bem… a F1 começou em 1950, estamos em 2019 e agora é que este descobre isso? os melhores carros sempre dominaram, nunca houve um “champ” sem um bom carro. A “lógica” de um piloto de F1 é brilhar com uma “carroça” para chegar a uma equipa de topo… o Perez que faça essa “lógica” e vai ver resultados… PS – se este senhor pretende um campeonato em que o piloto faça toda a diferença… ele que vá para o Isle of Man TT, o ManxTT, a North West 200 e o Ulster GP… são as competições onde o piloto é… Ler mais »

roq
Membro
roq

Vê-se bem que nunca viu pilotos como Ronie Peterson ganharem e comandarem provas com decrépitos carros como um March 711 e o Lotus 72. Ou Gilles Vileneuve,ou Airton Sena fazer miséria com um Toleman Hart, ou um Jean Pierre Beltoise ganhar com um BRM num diluvio no Mónaco. Nesse tempo era um campeonato mundial de condutores. Os carros eram verdadeiramente difíceis de conduzir porque não tinham muito apoio aerodinâmico, nem ajudas como o DRS, direção assistida e ABS e, pior, eram extremamente perigosos porque se desintegravam nas colisões e pegavam fogo facilmente, para já não falar das pistas. Hoje a… Ler mais »

RedDevil
Membro
RedDevil

Essa “realidade” que descreve está um pouco simplificada… e a sua descrição da F1 actual é “acriançada”… Vi o Olivier Panis ganhar o Mónaco, o Vettel ganhou Monza com um TR, etc, exemplos desses continuam a acontecer… Os exemplos que relata aconteceram em condições “especiais”… tal como o Panis… Acrescento também que muita da emotividade que havia nos campeonatos idos era catalizada pela baixa fiabilidade dos carros e dos pilotos também… Uma coisa continua a acontecer, os mais rápidos continuam a ganhar e os mais lentos ficam para trás, sejam carros ou pilotos… sempre foi assim a F1… PS –… Ler mais »

MiguelCosta
Membro
MiguelCosta

O Keke Rosberg foi campeão sem ter o melhor carro com uma consistência de resultados fora do normal para aquela época, em que as desistências por falhas mecânicas eram uma constante.

Pity
Membro
Pity

Sim, e porque, dos candidatos óbvios, um morreu e o outro teve um acidente grave que o impediu de defender a sua posição de líder do campeonato.

MiguelCosta
Membro
MiguelCosta

Verdade, o Ferrari era o melhor carro, o Renault e o McLaren também eram melhores que o Williams, mas as falhas nestes dois foram bastantes, o Rosberg contabilizou isso tudo. Acho que o Tambay depois de entrar na Ferrari ainda ganhou um GP.

tnfsfcpgmail-com
Membro
tnfsfcpgmail-com

Sem ganhar nenhuma corrida…

últimas F1
últimas Autosport