/ralis/wrc/o-primeiro-de-sebastien-ogier-foi-especial-estava-capaz-de-abracar-todas-as-pessoas-do-mundo/
O primeiro de Sébastien Ogier foi especial: “Estava capaz de abraçar todas as pessoas do mundo!” | AutoSport
 

O primeiro de Sébastien Ogier foi especial: “Estava capaz de abraçar todas as pessoas do mundo!”


Rali da Alsácia 2013. Sébastien Ogier quebrou um reinado de nove anos de Sébastien Loeb, e assegurou o seu primeiro título absoluto de Pilotos. O francês teve que repartir os louros do seu primeiro título absoluto com a saída de cena do seu grande rival, Sébastien Loeb. Ainda assim, houve espaço mediático suficiente para os dois e para Ogier comemorar condignamente o cetro, seis temporadas depois de se estrear no Mundial de Ralis. Um título, de resto, já mais do que esperado mas que faltava efetivar. Chegou na melhor altura, quando Ogier jogava precisamente em casa. Por isso a sua satisfação não podia ser mais evidente: “estou absolutamente radiante e estava capaz de dar um abraço a todas as pessoas do mundo. Só posso dizer que a sensação é impossível de descrever. Ganhar o campeonato aqui, em França, é um sonho tornado realidade. Em miúdo, com o meu pai, costumava maravilhar-me com a passagem dos grandes campeões no Rali de Monte Carlo, perto de casa, em Gap, e agora também sou um deles!”. Após 69 ralis, 14 vitórias, 23 pódios e 204 vitórias em especiais, Ogier também frisou que “este título não era possível sem a fantástica equipa VW. Tenho que agradecer a todos, desde os motoristas, aos mecânicos ou engenheiros”.