/ralis/wrc/memoria-rali-de-monte-carlo-1985-escreveu-se-direito-por-linhas-tortas/
 

Memória, Rali de Monte Carlo 1985: Escreveu-se direito por linhas tortas


A fase inicial do Rali de Monte Carlo de 1985 ficou marcada por mais um sinal que os Grupos B precisavam das pessoas mais longe da estrada, quando Ari Vatanen, em Peugeot 205 Turbo 16 teve uma saída de estrada, e atropelou vários espectadores. Isso não impediu o finlandês de construir uma vantagem de dois minutos face a Walter Rohrl, em Audi Sport Quattro, no final da 18ª especial, isto depois do alemão ter liderado de início. Depois, o drama. Terry Harryman, navegador de Vatanen, engana-se e controla quatro minutos antes da hora ideal. Um momento de distração foi suficiente para converter uma boa vantagem num atraso de seis minutos, em teoria irrecuperável. Mas não no Monte Carlo, uma prova onde é possível esperar pelas más escolhas de pneus dos adversários. Foi o que sucedeu com Walter Rohrl no Col de St. Raphael, logo ele que não era batido nesta prova desde 1979. Em dois quilómetros de especial já Vatanen tinha ultrapasssado Rohrl no troço, e no final era o novo líder do rali,com 53 segundos de avanço. Terry Harryman podia respirar de alívio e a Peugeot regressava às vitórias no Monte… 53 anos depois.