Portugal de Lés-a-Lés arranca amanhã

Por a 6 Junho 2007 16:15

Aí está a grande aventura! As verificações técnicas e documentais, amanhã, quinta-feira dia 7, marcam o arranque da nona edição do Portugal de Lés-a-Lés, a grande aventura do mototurismo nacional que, até sábado, levará enorme caravana com cerca de 750 motos até Faro, ao longo de 972 quilómetros a cumprir em 24 horas e cinco minutos de condução.

Duro mas desejado teste à capacidade de máquinas e condutores, em ligação divida em duas etapas com paragem em Marvão, plena de motivos de interesse, com inolvidáveis paisagens e históricos castelos na passagem por um País (quase sempre…) desconhecido. Uma viagem organizada pela Comissão de Mototurismo da Federação Nacional de Motociclismo, oferecedora de enorme caleidoscópio de sensações e que terá algumas novidades.

Desde logo pelo perfil do evento que, pela primeira vez, contará com um prólogo a realizar na quinta-feira, dia feriado do Corpo de Deus, espécie de preparação para a grande aventura, com 45,8 quilómetros de extensão e partida e chegada ao Campo do Trasladário, jardim ribeirinho junto ao Vez. Um circuito em estradas tipicamente minhotas, a cumprir após as verificações técnicas e documentais, aprazadas entre as 10 horas e as 18.30 horas, altura em que as equipas, já com o respectivo dorsal e tarjeta, são convidadas a arrancar para o percurso que contará com um controlo secreto, o primeiro dos 20 a cumprir até à capital algarvia.

Sem tempo estipulado para cumprir o primeiro troço turístico e horário de partida livre, a caravana passará no Paço da Giela, rodando na orla do Parque Nacional Peneda-Gerês, pelas aldeias de Soajo, Ermelo e S. Jorge. Pontos de interesse para as primeiras fotografias mas também para comprar artesanato, apreciar a passagem ou, simplesmente… ganhar apetite para o Jantar de Abertura, a partir das 20 horas, no pavilhão municipal arcuense.

Na sexta-feira começam as “coisas sérias” com a primeira das 366 equipas a arrancar às 6 horas da manhã rumo à anunciada dureza ao longo dos 502,9 quilómetros que levarão a colorida caravana até ao centro de Marvão, em etapa que conta com 13 controlos secretos de passagem e tem na subida à Torre, em plena Serra da Estrela, ponto alto de um dia que se adivinha inesquecível. A possibilidade de encontrar cavalos selvagens na passagem pela serra Amarela, excelentes troços de estrada de subida a montanhas e descidas a rios, a monumentalidade de Tarouca, o muito tempo passado na Estrela, desde o vale do Mondego ao Zêzere e a transição ininterrupta de paisagens do Alto Minho ao Alto Alentejo serão marcantes no primeiro dia.

Perante tamanha exigência, a segunda etapa, com 423,3 quilómetros até Faro, anuncia-se como verdadeiramente turística, em jeito de exótico e variado safari fotográfico, com partida a hora “civilizada” e chegada ainda com luz do dia à Praça da Pontinha, em pleno centro farense. Notas do dia, as travessias a vau dos rios Ardila e Vascão, a passagem inédita pelo coração das antigas Minas de São Domingos, a pioneira entrada em Espanha, através de Olivença com visita ao monumento ao General Humberto Delgado.

Sublinhe-se que a enorme adesão registada obrigou a FNM a ampliar a caravana das 500 motos previstas para 730, obrigando a redobrado trabalho logístico para não deixar ninguém de fora. A enorme dificuldade em garantir o almoço durante as duas etapas ao gigantesco grupo levou os elementos da Comissão de Mototurismo a muita insistência e esforço para, com o imprescindível apoio do Moto Clube de Moura e da Câmara Municipal, conseguir garantir a refeição na histórica cidade alentejana, na segunda etapa.
Notícia positiva para todos os participantes e que, infelizmente, apesar de todos os esforços desenvolvidos, não será acompanhada pela mesma possibilidade em Tarouca, levando a FNM a devolver 5 euros a todos os motociclistas que não terão lugar no almoço da primeira etapa.

Outra nota importante a poucas horas do arranque da maior aventura mototurística da Europa, desde o Alto Minho ao Algarve, o muito calor previsível para os dias 7 a 9 de Junho aconselha… muita água. A organização fornecerá algumas garrafas do precioso líquido à partida para a ligação entre Arcos de Valdevez e Marvão, bem como importantes conselhos aos participantes, que deverão evitar rolar sem blusão já que a falsa sensação de frescura pode traduzir-se em perigosa desidratação.

últimas MAIS MOTORES
últimas Autosport