LEMBRA-SE DE DAN GURNEY: Fuzileiro e piloto


Daniel Sexton Gurney nasceu em 1931, filho de um cantor lírico, que atuava no Metropolitan Opera, em Nova Iorque. Um dia, o seu pai John decidiu que era tempo de parar e mudar de ares e… mudou-se com a família para Riverside, na California. ‘Teenager’ impulsivo e ávido de viver, Dan depressa se entusiasmou pela cultura “hot rod” que existia na região. E foi então que construiu o seu primeiro carro – atingindo os 222 km/h numa prova de velocidade pura, em Bonneville Salt Flats. Tornou-se piloto amador de ‘dragsters’ e de carros de ‘sport’, até que foi incorporado nos fuzileiros e combateu na Guerra da Coreia. Depois disso, voltou às pistas, com um Triumph TR2, em 1955.

Depressa se tornou uma das grandes estrelas das pistas, pilotando um dos Ferrari oficiais nas 24 Horas de Le Mans de 1958. Estreou-se na F1 no GP de França de 1959, disputando, numa carreira que apenas terminou no GP da Grã-Bretanha de 1970, 87 provas e conquistando um total de 133 pontos. Venceu quatro corridas, a primeira delas em 1962 – o GP de França, em Rouen-Les-Essarts, com um chassis Porsche equipado com um motor de oito cilindros. Foi a primeira e única vitória da Porsche na F1, enquanto construtor de chassis.

Mas Gurney não foi apenas um excelente piloto, mas também um construtor ávido de sucessos. A sua marca registada é a Eagle e, a 18 de Junho de 1967, conquistou aquela que foi a sua mais simbólica vitória na F1: em Spa, palco do GP da Bélgica, aos comandos de um carro construído por si. Um triunfo que surgiu uma semana depois de ter ganho as 24 Horas de Le Mans.