WEC em Xangai: Corrida artificial ou novo fôlego?

Por a 13 Novembro 2019 09:47

Sabia-se que o novo sistema de penalizações nos LMP1, com base nos pontos marcados, iria afetar a Toyota mais tarde ou mais cedo. Aconteceu à terceira jornada do campeonato.
A Rebellion tornou-se na equipa ‘dominadora’ do fim-de-semana, enquanto a Toyota não teve argumentos para contrariar a penalização imposta. A Rebellion venceu, mas será que há motivos para sorrisos? A vantagem conseguida é artificial e Pascal Vasselon afirmou que esperava mais da Rebellion, cuja vantagem na qualificação foi de 2,2s, quando os responsáveis da marca nipónica esperavam que ultrapassasse os 3s. (a volta mais rápida do carro #1, com 1:45.788 de Senna, foi 2.919s mais lenta que o tempo de qualificação de Andre Lotterer- 1:42.869 – do ano passado, no mesmo carro).
Já não é a primeira vez que Vasselon diz que esperava mais da Rebellion, o que poderá implicar que a equipa que regrediu desde o ano passado, venceu ainda assim. Gustavo Menezes afirmou que pela primeira vez em muito tempo tivemos uma corrida ‘a sério’ com um resultado imprevisível e uma corrida entretida (um facto que não pode ser esquecido).
Já Sebastien Buemi disse que o novo sistema de Handicap deu uma corrida demasiado artificial. É bom termos novidades no topo da tabela, mas servido assim, não tem o mesmo sabor.

3
Deixe um comentário

Please Login to comment
  Subscribe  
Notify of
dumberdog
Membro
dumberdog

Concordo com o Buemi, acho que este BOP prejudicou em demasia a Toyota e promoveu descaradamente a vitória do Rebelion. A FIA tem que rever este esquema de penalizações para que a diferença de tempos não seja tão grande.

Scb
Membro
Scb

Que sentido faz colocar a correr lado a lado um Ferrari e um Fiat Punto, e depois, para tornar interessante, castrar o 1º?
Estupidez do caraças.

ecs
Membro
ecs

Artificial.

últimas VELOCIDADE
últimas Autosport