assinaturas

IMSA/ WEC: Ford sem pressa, avalia DPi e não descarta o WEC

Por a 23 Abril 2019 16:05

A Ford anunciou o fim do envolvimento directo da marca no programa de GT, que irá ter repercussões no IMSA e no WEC, mas nem por isso deixará de apostar no motorsport.

Os rumores da saída da marca oval do programa de GT era já um rumor antigo que foi confirmado há poucos dias pelos responsáveis. Ainda assim os Ford GT deverão continuar a ir para a pista com conversações a decorrerem com várias estruturas, sendo que os agora pilotos da Ford já receberam indicações para não procurarem alternativas para o futuro o que é um indicador que as equipas, especialmente a Ganassi  deverá manter os Ford GT em pista, sempre com o apoio directo da marca, dada a complexidade das máquinas.

A Ford aponta agora para o futuro e a participação no IMSA com um DPi está em cima da mesa e mesmo o programa para o WEC, uma vez que as últimas mudanças no regulamento proposto parecem começar a agradar, como explicou Mark Rushbrook director da Ford Perfoemance:

“Nós continuamos a estudar o nosso plano e os melhores lugares para competirmos ”, disse Rushbrook ao Sportscar365. “O IMSA tem sido um grande parceiro há anos, especialmente no programa GT. Apreciamos a sua abordagem ao desporto como incluir partes interessadas e fabricantes no diálogo. Eu diria especificamente no IMSA DPi, como existe hoje, eles fizeram isso com seus atuais parceiros da DPi. Para o futuro com o DPi 2.0, com motores híbridos, eles estão a envolver novos e potenciais parceiros num bom diálogo de via dupla.”

Quanto à entrada no IMSA com o DPi a Ford ainda avalia a melhor forma, que poderá passar por participar como equipa cliente a curto prazo para preparar 2022, ou entrar directamente em 2022 com os novos regulamentos como equipa de fábrica:

“Nada neste desporto é fácil.“, disse ele. “Como viram no programa GT, usamos o programa de DP antes, para nos prepararmos para o programa GT e isso nos ajudou de várias maneiras. Temos ótimos parceiros e ótimas pessoas que acho que poderíamos fazer honestamente de qualquer forma. Mas isso é parte da decisão que precisa ser tomada ”.

Quanto ao WEC e aos Hipercarros, a marca fez um estudo para verificar se um upgrade aos Ford GT actuais seria exequível para entrar na competição. Embora com mais entusiasmo em relação a este conjunto de regras, Rushbrook não tomou uma posição oficial:

“Temos recursos técnicos que sempre implantamos ou utilizamos para entender o que seria necessário”, disse Rushbrook. “Certamente, como essas regras mudaram um pouco recentemente, o carro seria capaz de competir. Mas é apenas um estudo e nenhuma decisão foi tomada para isso. ”

assinaturas

2
Deixe um comentário

Please Login to comment
  Subscribe  
Notify of
últimas IMSA
últimas Autosport
Lost your password? Please enter your username or email address. You will receive a link to create a new password via email.
Nós não partilhamos os seus dados pessoais com ninguém.