Fórmula E: Obrigado António!

Por a 15 Julho 2019 10:37

Terminou a época de Fórmula E e inevitavelmente é tempo de balanços. Jean-Éric Vergne celebrou o bicampeonato e a DS Techeetah o título por equipas. Mas há um piloto que, para nós merece um destaque especial… António Félix da Costa.

O piloto português lutou muito para chegar ao lugar de candidato ao título. Foi dos primeiros pilotos a apostar na Fórmula E, a ver o seu potencial. Mas teve de penar e ter paciência, enquanto esperava pela “sua” BMW. Teve de lidar com as inevitáveis vozes críticas que surgem sempre que os resultados são menos positivos, esquecendo o facto de que embora os carros pareçam iguais, por vezes estão longe disso. Teve de lidar também com a sua própria frustração de não estar na luta pelos primeiros lugares, algo que o seu talento lhe permite fazer em qualquer categoria. Não deve ter sido fácil.

Mas na primeira corrida do ano, a longa espera chegou ao fim e DAC voltou a mostrar porque é respeitado por todos. Venceu e fez-nos sonhar com o título, um sonho que durou mais de meia época. As duas desistências em Marrocos e no Chile, assim como a desclassificação (sem culpa) no Mónaco, depois de uma corrida espectacular, não ajudaram às contas. Mas Félix da Costa tem motivos para ser orgulhar do que fez. Superou de forma clara o seu colega de equipa, mostrou que a BMW tem condições para lutar pelos lugares da frente e provou a quem poderia ter dúvidas que o seu talento está intacto.

Sexto pode parecer pouco para quem queria o primeiro, mas Félix da Costa conseguiu uma vitória e três pódios, num campeonato que viu nove pilotos diferentes vencer, prova de grande equilíbrio e competitividade. Este foi mais um passo de uma caminhada que levará Félix da Costa aos triunfos que deseja. Talvez tenha sido até agora o passo menos penoso. Mas a determinação do português trará resultados em breve.

É raro ver uma combinação destas num piloto. Rápido, talentoso, determinado e acima de tudo “gente boa” como dizem do outro lado do atlântico. Com uma atitude sempre positiva e sem medos de dizer o que pensa, Félix da Costa é um dos preferidos do grid da Fórmula E e basta ver a quantidade de vezes que foi votado no fanboost para o entender (13 vezes em 13 corridas). Isso também deve ser motivo de orgulho para nós.

Não foi o fim que desejávamos, mas temos de dar o mérito a quem o tem. Obrigado António, pela forma como nos representaste… Ainda não foi desta, mas sabemos que o caneco está a caminho.

6
Deixe um comentário

Please Login to comment
  Subscribe  
Notify of
mi19021703
Membro
mi19021703

Idem aspas aspas. Muito bem escrito.

pedro_speed
Membro
pedro_speed

Subscrevo tudo na íntegra.

Scb
Membro
Scb

Não fosse o erro colossal em Marraquexe e teria terminado no pódio, o que atendendo que ficou sempre no grupo mais difícil de qualificação, explica a qualidade do António e do próprio BMW, que a seguir ao DS, pareceu-me dos carros mais rápidos em andamento puro.
A qualificação e o muitos toques a meio do pelotão acabam por ditar grande parte da corrida.

@00@
Membro

Os erros pagam-se caros.A BMW podia estar noutro patamar de equipas, não fosse esse disparate. E o DAC igualmente.

jem
Membro
jem

Concordo com a crónica, mas esperava mais. Principalmente depois de assumido que a regularidade é muito importante, acho que foram cometidos erros evitáveis. E parece-me que, principalmente nas provas em que seria difícil pontuar faltou agressividade. Espero que para o ano seja melhor o que para mim significa lutar efetivamente pelo título.

Carlitos 01
Membro
Carlitos 01

Concordo com o teor do artigo, mas ainda tenho as 3 espinha de Marrocos atravessadas na garganta.
Uma espinha da gestão da equipa, outra do Sims e outra do António. Aqueles pontinhos a mais faziam toda a diferença.
Também não me passa pela goela a forma parva como os pilotos são distribuídos pelos turnos de qualificação. O António foi o piloto mais penalizado por isso por ter ganho logo a primeira corrida.

últimas FORMULA E
últimas Autosport