Dakar: A nova aventura de Fernando Alonso

Por a 20 Agosto 2019 11:05

Fernando Alonso é um nome cada vez mais incontornável do desporto motorizado. O espanhol é considerado por muito um dos melhores da actualidade e é um dos mais carismáticos da sua geração.

O mundo de Alonso é a velocidade. O asturiano sempre mostrou o seu talento na velocidade e assim que chegou à F1 mostrou ao que vinha. Chegou à F1 em 2001, em 2002 tinha via aberta para a Renault e em 2003 passou a ser piloto da marca francês, conquistou duas pole e venceu no seu primeiro ano com a equipa. Tornou-se campeão em 2005 e 2006, acabando com o domínio da Ferrari e de Michael Schumacher. A sua carreira na F1 (até agora) conta com 312 GP, 32 vitórias, 22 poles, 97 pódios, dois títulos e três vice-campeonatos.

Foi a estrela na Renault, foi um “milagreiro” na Ferrari, colocando a Scuderia na luta pelos títulos quando o carro não tinha a mesma valia dos dominantes Red Bull, na McLaren não teve tanta sorte, mas mostrou toda a sua qualidade.

Adorado por uns e odiado por outros, Alonso nunca deixou ninguém indiferente. Em pista foi sempre um dos melhores, fora dela, a sua postura nem sempre conquistou fãs e a forma como jogava para ter as equipas sempre do seu lado faziam dele um dos piores colegas que se podia ter. Mas os números não fazem justiça ao talento do espanhol, que sempre teve o “dom” de escolher no timing errado as equipas para onde ia. Na sua última passagem pela McLaren entendeu que dificilmente teria um carro capaz de lhe dar uma mínima hipótese de ser campeão de novo. Voltou-se para objectivos fora da F1. A Triple Crown passou a ser a sua principal meta e Alonso quer mostrar ao mundo que pode ser bom em qualquer competição. Em Le Mans venceu de forma fácil (concorrência inexistente) mas soube lidar com os desafios que a prova coloca a todos, independentemente da concorrência e por isso não perde o mérito pelas duas vitórias. Em Daytona venceu na sua segunda passagem e sagrou-se campeão do mundo de resistência.

Com pouca vontade de competir na IndyCar Series a tempo inteiro, Alonso procura outros desafios. E o desafio surge agora num terreno completamente novo. O Rally Raid.

O novo desafio

O espanhol irá ter um programa de testes de cinco meses com a Toyota Gazoo, que percorrerá a Europa e a África para se familiarizar com os rigores da competição. Alonso terá mais três dias de testes na África do Sul e irá participar na Harrismith 400 também na África do Sul.

O objectivo é simples e só um… entender se tem condições para enfrentar os rigores do Dakar, uma prova dura, ingrata que, por exemplo, ainda não sorriu a Sebastien Loeb (um dos melhores de sempre nos ralis), depois de quatro tentativas. O desafio deverá ser apenas assumido quando o espanhol tiver certezas que tem condições para tentar a vitória. Eis a declaração oficial de Alonso:

“Estou muito animado para continuar a minha aventura com a TOYOTA GAZOO Racing. Juntos, alcançamos muito desde que pilotei um Toyota pela primeira vez em novembro de 2017, com duas vitórias consecutivas em Le Mans, o título mundial de Endurance por equipas e o título de pilotos com meus colegas Sébastien [Buemi] e Kazuki [Nakajima]. Tive uma amostra do off-road no início deste ano, que me deixou com uma sensação boa e que eu quero prolongar. Eu sabia que seria uma experiência totalmente diferente e que teria muito a aprender, mas a Hilux parecia ótima; Isso deu-me tanta confiança tão rapidamente que fui melhorando loop após loop. Estou ansioso pelos próximos meses de treino, em que vou conhecer melhor a Hilux e trabalhar com a equipa. Eu sempre defendi que quero tentar novos desafios em diferentes disciplinas e estou numa ótima equipa para fazer isso. ”

Faz bem Alonso tentar o Dakar?

A resposta só pode ser… Porque não? Na velocidade não tem mais nada a provar, venceu nas duas principais categorias de pista e tudo o resto deverá parecer pouco aliciante. O nome Alonso abre muitas portas e qualquer marca (excepto a Honda) não se importaria de ver o seu nome associado ao espanhol. Alonso deve estar numa fase em que o divertimento de tentar algo novo, sempre com a vitória em mente, é mais importante. Continua a espreitar a F1 e que ninguém duvide que largará tudo o que estiver a fazer num piscar de olhos, se a Ferrari ou a Mercedes (ou até mesmo a Red Bull) lhe oferecerem um lugar. O tricampeonato era o objectivo mínimo do espanhol e no fundo, o seu talento justificava esse reconhecimento. Mas é louvável a abertura que Alonso tem para tentar novos desafios.

Para os promotores pelo mundo fora pode ser uma oportunidade de ouro e a proposta certa poderá levar o piloto a experimentar outras competições. Alonso não conseguiu chegar onde queria na F1 e resolveu arriscar fora. Está a um passo da Triple Crown, mas quer tentar algo diferente… algo que raramente se viu. Ter sucesso em todas as vertentes do desporto motorizado. Poucos foram os que o conseguiram. Ainda vamos ouvir falar muito de Alonso.

9
Deixe um comentário

Please Login to comment
  Subscribe  
Notify of
vasco__moura
Membro
vasco__moura

Não sou o seu maior fã, devido à sua personalidade enquanto piloto, e nos últimos anos de F1 já estava a ficar farto de o ouvir. Mas dou-lhe os parabéns por diversificar a sua carreira. Não tem nada a provar em corridas de circuito, agora que se afirme em outras categorias! Espero vê-lo tanto no WRC como no WRX um dia

seven
Membro
seven

Claro que neste tipo de decisões pesam muitos factores e nós, comuns seguidores da modalidade, não fazemos ideia da diversidade e complexidade desses mesmos factores.
No entanto, assim friamente e à distância do meu conforto, acho que o Alonso(de quem tão pouco sou fan) gosta bem mais de correr que o Nico Rosberg.

Rhoda
Membro
Rhoda

Lol – essa do Nico Rosberg foi mesmo bem metida.

Carlitos 01
Membro
Carlitos 01

Vou começar a admirá-lo.

jem
Membro
jem

Quando se souber o cachet, percebe-se melhor.

jcmr
Membro
jcmr

assim até eu ia …

can-am
Membro
can-am

Estando numa equipa das mais fortes tem meio caminho para ganhar, mas estas provas são traiçoeiras e aleatórias, não é como Le Mans onde 2+2 são 4! Aqui anda muito de aleatório.
Ser um bom piloto de velocidade não quer dizer muito.
Está-se a assumir como “velho reformado” que é o tipo de pilotos que anda nisto ?

Rhoda
Membro
Rhoda

Acho que Les Mans não é bem 2+2 são 4, Mas está bem… Mas concordo que é um pouco o caminho dos reformados de outras competições.

ramedlaV
Membro
ramedlaV

Eu simplesmente adoro o Alonso!

últimas DAKAR
últimas Autosport