/formula1/f1/f1-programa-de-jovens-da-red-bull-e-muito-mais-do-que-um-triturador-de-talentos/
F1: Programa de Jovens da Red Bull é muito mais do que um triturador de talentos | AutoSport

F1: Programa de Jovens da Red Bull é muito mais do que um triturador de talentos

Por a 18 Agosto 2022 14:40

A lista de pilotos formados pelo Programa de Jovens da Red Bull é já extensa, mas foram poucos os nomes que de facto chegaram à F1. E, por isso, a Academia da Red Bull é considerada uma espécie de trituradora de jovens talentos. Mas Helmut Marko tem outra opinião.

O conselheiro da Red Bull afirmou que graças ao programa para jovens, muitos pilotos conseguiram carreiras de sucesso:

“Noventa e cinco por cento das pessoas dispensadas do programa estão a pilotar no DTM, GTs, Fórmula E e a ganhar muito mais dinheiro do que alguma vez poderiam ganhar num emprego normal. E no desporto que adoram”, disse Marko, ao Motorsport-Total.com

É um argumento que faz sentido. Sim, alguns pilotos ficaram à porta da F1, sem conseguir concretizar o sonho, mas também o programa foi uma rampa de lançamento para carreiras bem sucedidas.

Da extensa lista de pilotos do programa, apenas Christian Klien, Vitantonio Liuzzi, Daniil Kvyat, Sebastian Vettel, Max Verstappen, Daniel Ricciardo, Pierre Gasly e Alex Albon, conseguiram um lugar na Red Bull. Já na Toro Rosso / Alpha Tauri vimos Scott Speed, Sébastien Buemi, Jaime Alguersuari, Brendon Hartley, Jean-Éric Vergne, Carlos Sainz e Yuki Tsunoda.

Mas nomes como Pato O´Ward, Lucas Auer, Callum Ilott, Alex Lynn, Tom Blomqvist, Robert Wickens, Mirko Bortolotti, Daniel Juncadella, Karun Chandhok, Tom Dillmann, Jean-Karl Vernay, Neel Jani, Mathias Lauda tiveram ligações à Red Bull. Do lado português, Filipe Albuquerque e António Félix da Costa também viram a sua carreira ser influenciada pelo programa de jovens pilotos da marca de bebidas energéticas.

A lista de títulos e vitórias conquistada por estes pilotos é considerável e fica a questão: o que seria a carreira destes pilotos se não fosse a Red Bull? Félix da Costa é um exemplo. É verdade que esteve a um passo de chegar à F1 e não aconteceu por uma injustiça. Mas, por outro lado, a Red Bull abriu-lhe as portas do DTM e da BMW. O resto é uma história bem conhecida de muito sucesso. Assim, dizer que o programa de jovens da Red Bull destruiu sonhos é uma meia verdade. Também tornou possíveis muitos sonhos e melhorou muito o panorama do desporto motorizado. 

Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
últimas Autosport Exclusivo
últimas Autosport
autosport-exclusivo