/formula1/f1/f1-cada-vez-mais-safety-cars-em-pista/
F1: Cada vez mais Safety Cars em pista | AutoSport

F1: Cada vez mais Safety Cars em pista

Por a 22 Setembro 2022 12:34

Desde a sua introdução na F1 em 1993 que o Safety Car tem sido uma ferramenta importante para gerir as corridas. Mas a estatística mostra que o número de corridas afetadas com Safety Cars tem vindo a aumentar.

Se olharmos para os dados, vemos que até 2013 o número de corridas afetadas com Safety Car rondava as 6, um número que subiu muito desde 2014. Desde a entrada em cena da era híbrida (e do acidente de Jules Bianchi), que o número de corridas afetadas por Safety Car subiu para 13, em média. Este ano, por exemplo, apenas no GP da Espanha é que não vimos a entrada do Safety Car, sendo que a época 2018 foi aquela em que o SC teve mais trabalho, sendo chamado à pista em 19 das 21 corridas.

A segunda época com mais SC em pista foi a de 2021 (16) e a época 2022 é já a terceira com mais corridas afetadas com a entrada do SC (15). Já longe vão os tempos de 1993 em que o Safety Car foi apenas chamado em duas corridas, sendo a época de 1995 aquela que menos ação do SC viu, com apenas uma corrida afetada. Desde 2014 que o número de corridas com SC tem sido igual ou superior a 10 ou seja, mais de 50% das provas.

Olhando para as pistas que mais vezes são afetadas por incidentes, Singapura é uma das pistas que mais trabalho dá ao Safety Car. Em todas as 12 provas realizadas no traçado citadino vimos o SC em pista, à semelhança do que aconteceu no Autódromo Hermanos Rodriguez com 100% de corridas interrompidas. Spa-Francorchamps, Red Bull Ring, COTA, Silverstone, Albert Park, Circuito Gilles Villeneuve e Mónaco são as pistas com 50% ou mais de corridas com intervenção do SC (olhando apenas a pista com mais de cinco corridas realizadas).

Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
últimas Autosport Exclusivo
últimas Autosport
autosport-exclusivo