Fórmula E arranca na próxima semana

Por a 16 Novembro 2019 15:14

24 carros, 24 pilotos, 12 equipas. Conheça os heróis atrás dos capacetes e saiba mais sobre as equipas e construtores da ABB FIA Fórmula E 2019/2020. Conheça um pouco da história.

Dizem que todas as boas ideias começam na parte de trás de um guardanapo e foi isso que sucedeu na noite de 3 de março de 2011. Surgiu a ideia de uma série de corridas de rua totalmente elétrica. Tudo começou como nada mais do que… rabiscos num guardanapo.

Escrito em poucas palavras num restaurante em Paris, foi o início do que se tornaria o primeiro campeonato internacional, totalmente elétrico do mundo. O início da Fórmula E, saiu da cabeça do presidente da FIA, Jean Todt, e do empresário espanhol Alejandro Agag. Juntos, desenvolveram a série como um meio de mostrar o potencial da mobilidade sustentável para ajudar a criar um mundo melhor e mais limpo.

Desde a sua estreia global nos terrenos do Parque Olímpico de Pequim, em 2014, a Fórmula E tornou-se uma marca de entretenimento global, com o desporto automóvel no coração. Agora, com 12 equipas e 24 pilotos na grelha, o Campeonato tornou-se um destino para as melhores equipas e talentos do automobilismo de todo o mundo.

Com um total de nove fabricantes, a Fórmula E serve como uma plataforma competitiva para fabricantes de automóveis e fornecedores de mobilidade globais para testar e desenvolver tecnologias relevantes para os carros de estrada. Ao correr nas ruas, a série atua como um catalisador, ajudando a refinar o design de veículos elétricos e a melhorar a experiência de condução para os utilizadores de carros de estrada em todo o mundo.

A temporada 2018/19 viu nascer a segunda geração (Gen2) de monolugares de Fórmula E. Com o dobro da capacidade de armazenamento de energia do Gen1, os pilotos do Gen2 puderam percorrer toda a distância da corrida, fazendo com que as trocas de carros a meio fossem coisa do passado, mas também demonstrando o progresso feito na mobilidade totalmente elétrica. Maiores velocidades e maior potência significaram mais ação em pista e este ano teremos mais e melhor.

Em primeiro lugar, dois novos construtores, e logo a Mercedes e a Porsche. A Porsche é uma equipa completamente nova, a Mercedes-Benz EQ Formula E Team entra no campeonato através da HWA, que tinha como cliente a Venturi powertrains da HWA Racelab, vai executar as operações de pista da Mercedes. A Venturi mudou para os motores Mercedes, e pôs termo à sua atividade como fabricante. A equipa NIO foi vendida à Lisheng Racing, mas continuará sob a marca NIO. A equipa não irá utilizar os seus próprios motores e, em vez disso, adquiriu o motor do ano passado à GEOX Dragon.

Entre os pilotos, Neel Jani regressa à Fórmula E, agora como piloto da Porsche. André Lotterer trocou a DS Techeetah pela Porsche.
Maximilian Günther passou da GEOX Dragon para a BMW i Andretti Motorsport, substituindo António Félix da Costa, que por sua vez trocou a BMW i Andretti Motorsport pela DS Techeetah, substituindo Lotterer. O Campeão de Fórmula 2 de 2019, Nyck de Vries, fará a sua estreia na Fórmula E com a Mercedes-Benz EQ Formula E Team. A GEOX Dragon terá dois rookies, com o Campeão Mundial de Endurance de 2015 e 2017, Brendon Hartley, como parceiro de Nico Müller. O campeão do Mundo de Endurance de 2017, James Calado, fará a sua estreia com a Jaguar, substituindo Alex Lynn. Ma Qinghua regressa à Fórmula E como piloto do NIO 333, substituindo Tom Dillmann.
Conheça o plantel.

Deixe um comentário

Please Login to comment
  Subscribe  
Notify of
últimas FORMULA E
últimas Autosport