WRC: O caminho da Toyota

Por a 8 Agosto 2019 16:15

A recuperar de várias decepções, sobretudo da última catástrofe de Tanak na Sardenha na última especial, quando liderava, o diretor da Toyota Gazoo Racing, Tommi Makinen, deu algumas ideias sobre o trabalho actual e as aspirações. Esta entrevista foi feita na véspera dos esforços dramáticos no Neste Rally que terminaram com uma vitória para Ott Tanak. Apesar de várias decepções, estará o desenvolvimento do Yaris WRC a ir na direcção certa?

TM: Eu diria que fizemos um trabalho de desenvolvimento muito constante. Acabámos de analisar, depois de todas as diferentes condições, o que precisamos melhorar e foi o que fizemos. E tem sido, diria eu, o melhor trabalho de equipa que já vi, baseado na informação dos pilotos e nos comentários do grupo que trabalha em conjunto com a sua experiência e as suas ideias. Tem sido muito regular desde que começámos a construir o carro em 2016. Já fizemos uma quantidade enorme de testes aqui na Finlândia e é por isso que agora está tudo praticamente como é exigido para o Neste Rally. Ainda temos mais trabalho para fazer em condições difíceis. Temos estado a concentrar-nos mais nos pisos difíceis e sabemos que precisamos de trabalhar nessa área.

MH: Qual tem sido o ponto fraco nos pisos mais duros?

TM: Eu diria que é uma questão de fazer com que o carro tenha um bom desempenho em circunstâncias em que temos de aumentar a altura ao solo, porque o design foi feito para que o carro funcione melhor quando está um pouco mais baixo. Penso que já estamos a começar a melhorar nessa área.

MH: Qual foi a melhoria mais importante feita no carro?

TM: Claro que são pequenas coisas aqui e ali. É a unidade propulsora a trabalhar em conjunto com a suspensão e a geometria, esses pequenos itens. Mas o desempenho vem da aerodinâmica que, uma vez homologado o design, não se pode mudar muito. É sempre necessário ter jokers e o número de jokers disponíveis é limitado. Eu diria que a maior parte do trabalho que fizemos com a transmissão e suspensão.

MH: Qual será a próxima melhoria?

TM: Estamos sempre a procurar algo novo para melhorar. Fizemos alguns testes com os novos amortecedores, um amortecedor completamente novo que é mais leve, mas essa é uma área que leva sempre tempo, temos de ter a certeza de que está realmente a funcionar até conseguirmos essa mudança. Será do mesmo fornecedor, mas com um novo design.

MH: Qual é a esperança de vida do Yaris WRC, quanto tempo vai durar este carro – até à nova fórmula em 2020?

TM: Sabemos que em 2022 teremos novos sistemas (híbridos) e existem muitas regras mais recentes, bem como a oportunidade de ter carros base maiores, mas de tamanho reduzido. Não sei muito sobre isso. Claro, é evidente que em 2022 teremos carros completamente novos. Continuaremos a usar o mesmo design atual? Talvez, veremos! Para 2022 estamos à espera que o regulamento seja finalmente decidido, mas já fizemos alguma preparação com base no que sabemos. O que estaremos a fazer em 2021 – essa é a questão, mas não deverá haver grandes alterações.

MH: E em relação a 2020, quando espera decidir os seus condutores?

TM: Neste momento estamos a negociar com o Ott Tanak e quando ficar resolvido, analisaremos o resto da equipa e o que fazemos, mas penso que chegou o momento de começarmos a pensar nisso mais seriamente.

MH: O que está a acontecer com o novo Toyota R5?

TM: Já Trabalhamos muito, estudámos muito e já fizemos uma preparação muito, muito cuidadosa para estarmos prontos para começar o projeto. Eu diria que em breve devemos tomar uma decisão ou vamos para o R5 ou não.

MH: Da última vez que lhe perguntei sobre isso, disse que o motor que gostaria de usar no R5 ainda não está em produção. Está (ainda?) à espera que o motor entre em produção?

TM: Sim, deve começar em breve, sem dúvida e, em termos de regulamentação, também deve estar bem. Todas estas áreas foram resolvidas.

Martin Holmes

Deixe um comentário

Please Login to comment
  Subscribe  
Notify of
últimas Destaque Homepage
últimas Autosport