/ralis/wrc/wrc-ha-10-anos-na-citroen-quando-sebastien-loeb-e-ogier-chocaram-pela-primeira-vez/
WRC, Há 10 anos na Citroën: Quando Sébastien Loeb e Ogier ‘chocaram’ pela última vez | AutoSport
 

WRC, Há 10 anos na Citroën: Quando Sébastien Loeb e Ogier ‘chocaram’ pela última vez


Por vezes, quem tudo quer tudo perde. Podemos dar como exemplo o que sucedeu na McLaren no Mundial de Fórmula 1 de 2007, em que dois pilotos da McLaren, Fernando Alonso e Lewis Hamilton chegam à derradeira corrida com fortes aspirações de ser campeões e como a equipa, durante todo o ano, nunca ‘apostou’ num ‘cavalo’, quem venceu foram Kimi Raikkonen e a Ferrari.
Isto a propósito do ano de 2011 no WRC, em que se assistiu a uma série de controvérsias decorrentes da rivalidade com Sébastien Ogier, numa ‘contenda’ que já vinha de 2010: “O problema não foi o facto de eu ter concorrência dentro da equipa. O problema foi que, desde o início da temporada, a principal rivalidade veio de dentro da equipa, o que fez com que não tivesse o mesmo apoio, dentro da equipa, com que sempre contei.
E, finalmente, no final da temporada, vimos que estávamos perto de perder o título por essa razão. Ogier foi competitivo e a situação foi incomum para nós por causa disso. Eu não o consegui dominar como dominei o meu antigo colega de equipa e essa foi a diferença. A dada altura, houve alguns passos de estratégia da equipa que eu não gostei esta época. Mas, por fim, ganhámos os dois títulos e tudo foi perfeito”, disse Loeb, que admitiu que não ter dado a certeza que iria correr em 2012, fez ‘tremer’ Olivier Quesnel (Diretor desportivo da Citroën), que chegou a sugerir que a tensão dentro da equipa adveio do facto de ele próprio ter feito promessas a ‘Seb 2’ (Ogier) porque Loeb ainda ainda não tinha decidido se queria ficar ou não no Mundial em 2012: “Eu nunca sabia o que queria fazer no ano seguinte até que concluía que queria guiar. Todos os anos, a meio da época, havia uma altura em que pensava ‘já chega’. Depois quando as coisas corriam bem, pensava ‘hummmm’… ainda me divirto! Não nego que tenha dito ao Olivier durante a época que havia a possibilidade de me retirar no ano seguinte e, assim, ele só fez o seu trabalho”.
A meio de 2012, Loeb disse: “no próximo ano, pararei!”, e dessa vez não decidiu continuar. Parou mesmo…