/ralis/wrc/memoria-rali-monte-carlo-1981-nacionalismos-franceses/
 

MEMÓRIA Rali de Monte Carlo 1981: Nacionalismos franceses



CASO:  Um dos problemas principais dos espetadores nos ralis é o tédio, e por isso, muitas vezes fazem o que não devem enquanto esperam pelos carros. Bebem… ou têm ideias idiotas.

Foi o que sucedeu no Rali de Monte Carlo de 1981, quando na sequência duma interessante luta pela liderança entre o Porsche 911 de Jean-Luc Therier e o Renault 5 Turbo de Jean Ragnotti, os espetadores decidiram intervir na luta fazendo pender a balança para um dos lados. Se é verdade que incomodaram um francês em prol de outro, o futuro vencedor corria numa marca francesa, face a um francês, num carro alemão. Hannu Mikkola liderou de início, impondo o seu Audi Quattro, mas duas saídas de estrada traíram-no. Na Etapa final, foi a vez de Jean Luc Therier liderar da PE11 à PE24, e quando tudo se parecia encaminhar para um triunfo da Porsche, os espetadores assim não o entenderam, colocando neve na estrada, que naturalmente surpreendeu Thérier, que se despistou no local. Uma vitória de grande importância na carreira do piloto ficava afastada pela inconsciência do público, e seria Jean Ragnotti a receber de mão beijada um triunfo completamente inesperado.


Rali de Monte Carlo 1981