MEMÓRIA: Rali de Monte Carlo de 1979 com mistério nunca resolvido

O Rali de Monte Carlo de 1979 permanece na lista de ficheiros secretos do WRC, já que nesse evento sucedeu uma daquelas situações que os ralis não precisam. No final da Etapa Comum, e quando faltava apenas a noite do Turini, dois Ford Escort RS 1800 de Hannu Mikkola e Bjorn Waldegaard lideravam com mais de quatro minutos de avanço. Foi neste momento que os planos da Ford vieram montanha abaixo, já que Mikkola foi penalizado em cinco minutos por excesso de velocidade. Com as condições de estrada a mudar, a Dunlop teve de fazer escolhas de pneus para levar nas carrinhas de assistência (tinha dois tipos de carro diferentes, Escort e Fiesta) e escolheu mal. Darniche pode levar toda a panóplia e mesmo 6m27s atrás de Waldeggard acreditava poder vencer. Fez vários melhores tempos e a 35 Km cronometrados do fim do rali estava a 1m31s de Waldegaard, que conta o que se passou a seguir: “A meio duma ponte estavam quatro enormes pedras, ali colocadas por alguém, tentei passar por cima mas uma ficou presa no carro.”. Perdeu 1m16s, e passou a liderar por apenas 15s. Mas o sueco não sabia e foi desmotivado para o último troço, perdendo o rali por seis segundos: “Se eu soubesse a diferença teria andado doutra forma…”, disse no final.