/ralis/eduardo-carpinteiro-albino-em-nome-do-pai/
Eduardo Carpinteiro Albino: em nome do pai | AutoSport

Eduardo Carpinteiro Albino: em nome do pai

Por a 21 Novembro 2022 14:28

Eduardo Carpinteiro Albino/José Carlos Figueiredo, em Renault Zoe ZE50 R135, asseguraram o título de Campeões de Portugal de Novas Energias, depois de triunfarem este fim de semana o E-Rali Sharish-Alentejo Central, isto depois duma bela luta com Nuno Serrano e Alexandre Berardo (Renault ZOE ZE50 R135). Eis a visão do campeão: “Quando o Paulo Almeida me convidou para ser membro do Colégio de Comissários Desportivos no 1º Oeiras Eco Rally de 2018, apaixonei-me pela ideia. Os carros elétricos são o futuro e este tipo de provas é uma maneira de mostrar que estes veículos são mais que meros citadinos.
Realizar provas em carros perfeitamente de série é um modo de cativar novos concorrentes para este desporto de que tanto gostamos, e serem ralis de regularidade um reviver do que foi o início dos ralis, agora com um novo tipo de carros.
Quando foi lançado o Campeonato de Novas Energias, em 2021, também quis ser um pioneiro nesta modalidade, como o meu pai foi no final dos anos 60 e início dos anos 70.
Em 2021 o campeonato só teve três provas e consegui ser vice-campeão. Mas este ano foi um campeonato mais sério, com seis provas, e todos os elementos do Prio Renault Eco Team trabalharam muito para que os resultados acontecessem. Termos quatro parceiros muito importantes, a Prio, a Renault, o ACP e a Fidelidade, colocou-nos uma responsabilidade acrescida para realizar um bom campeonato e para divulgar bem estas marcas.
Desde a 1ª prova que mostrámos uma enorme competitividade e em Gaia, Oeiras, Proença e Açores conseguimos 4 dobradinhas nas pontuações para o campeonato, alternando os vencedores entre mim e o Nuno Serrano. Mas não foi fácil e as diferenças entre os primeiros e os restantes concorrentes ao campeonato eram mínimas.
Lisboa foi uma prova que nos correu muito bem e a diferença para o 2º classificado foi a maior de todo o campeonato. O Nuno Serrano e o Alexandre terem ficado fora do pódio dava uma folga em termos de classificação do campeonato, mas só contarem os 5 melhores resultados deixava tudo em aberto para Reguengos.
À chegada desta última prova o título já estava na equipa e a luta era entre o Nuno Serrano e eu. Mas o meu sonho era mesmo acabar o campeonato com chave de ouro e conseguir a vitória. O Zé Carlos Figueiredo, meu navegador, esteve irrepreensível e travamos uma luta muito renhida pela vitória e os 2 segundos de vantagem para o 2º classificado são prova disso mesmo.
Conseguir um título de Campeão 55 anos depois de o meu pai ter ganho o 1º Rally de Portugal e 52 anos depois de se ter sagrado Campeão Nacional, é um sonho tornado realidade.
Foi ele que me transmitiu o gosto pelo automobilismo e foi com ele que comecei a fazer Ralis de Regularidade no Renault 8 Gordini, com que ganhou o 1º Rally de Portugal.
Não posso deixar de dedicar este título ao meu pai e a tudo o que fez por este desporto.
20 anos depois de nos deixar é uma maneira de nos lembrarmos dele.”

Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
últimas Autosport Exclusivo
últimas Autosport
autosport-exclusivo