Vitórias Improváveis na F1: Johnny Herbert, Europa 1999


A competição não vive só do domínio e da luta entre as grandes equipas pela vitória e pelos campeonatos. As lutas por categorias intermédias ou no meio do pelotão apaixonam muita gente, e no meio dessas contendas, descobrem-se grandes talentos que poderão, um dia, ascender ao Olimpo do desporto motorizado. Isto é transversal a todas as disciplinas do desporto automóvel. No caso da Fórmula 1, nunca faltaram vencedores inesperados. Aqui fica uma dessas histórias.

CLIQUE NO VÍDEO PARA VER NO YOUTUBE

A época de 1999 estava a ser algo atípica. Depois do domínio McLaren em 1998, que só tinha deixado o título de pilotos por decidir até à última ronda devido a uma série de erros da marca de Woking, 1999 parecia trazer um equilíbrio de forças ainda maior entre a Scuderia e a Mclaren. No entanto, a Ferrari via-se privada de Schumacher, depois de o alemão partir uma perna numa violenta saída de pista no G.P. de Inglaterra. Häkkinen teria aberta a via para o título? Talvez sim, se o piloto e a McLaren não colecionassem erros clamorosos ao longo da época…Surpreendentemente, Eddie Irvine puxou dos seus galões na sua melhor temporada de F1 até então e entrou na luta pelo título, aproveitando-se da luta interna entre Häkkinen e Coulthard, e da intromissão crescente de Frentzen, a realizar a sua melhor época da carreira com a Jordan. A luta pelo título seria a quatro, e Häkkinen e Irvine chegaram empatados na liderança ao Nürburgring, a antepenúltima prova do Mundial. Com a pista seca, Frentzen saiu na frente, seguido de Häkkinen e Coulthard, enquanto Irvine continuava a sofrer com a aparente perda de rendimento dos Ferrari e lutava pelos últimos lugares nos pontos. No entanto, a chuva fez a sua aparição ainda na primeira metade da prova, baralhando as contas a todos os pilotos, principalmente a Häkkinen, que parou demasiado cedo para meter pneus de chuva. Quando a pista secou, Irvine estava claramente em vantagem mas, pouco depois, abateu-se uma forte chuvada sobre a pista, causando um festival de piões e abandonos. Frentzen, entretanto, tinha desistido no comando com problemas elétricos, e Coulthard foi dos primeiros a errar na chuva, despistando-se. Depois, Irvine teve uma paragem rocambolesca, atrasando-se muito. No meio de toda esta confusão, o veterano Johnny Herbert entrava na luta pela vitória, já que vinha de uma performance extremamente consistente com o seu Stewart-Ford, e parou para meter pneus de chuva na altura certa. Com todos os incidentes, o inglês herdou a liderança e segurou o comando na frente de Trulli para obter a sua maior vitória da carreira. Foi um resultado merecido para um piloto que viu a sua extremamente promissora carreira definitivamente cortada por um violento acidente em BrandsHatch quando corria na F3000, que o deixou com mazelas que nunca lhe permitiram voar tão alto quanto os seus resultados indicavam.