GP EUA F1: McLaren dispensa relação com a Rich Energy

Por a 3 Novembro 2019 18:49

No início desta semana, a Rich Energy sugeriu um novo acordo de patrocínio na Fórmula 1, usando o slogan “Premium British Performance” e hashtags que mencionavam a McLaren e o seu parceiro de motores, a Renault, na rede social Twitter.

O CEO da McLaren, Zak Brown, disse que ficou surpreso quando o tweet foi enviado, e rapidamente disse que não havia conversas sobre algum tipo de patrocínio.

“Enviaram-me isso, mas é claro que não estou, nem vou, falar com eles. Deve ser uma manobra publicitária por parte deles.”

A Rich Energy e a Haas separaram-se em setembro, dois meses depois do incidente do Grande Prémio da Grã-Bretanha.

Brown espera acrescentar mais patrocinadores em 2020, com o acordo da equipa com a petrolífera brasileira Petrobras a ser encerrado pelo Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.

3
Deixe um comentário

Please Login to comment
  Subscribe  
Notify of
Roder
Membro
Roder

Nosso “Mito”, Jair Messias Bolsonaro, o que veio para acabar com o socialismo corrupto de Lula (o chefe de quadrilha e mandante do assassinato de Celso Danile) e Dilma Rousseff (a ex terrorista), do Partido dos Trabalhadores e outros partidos que assaltavam a nação, principalmente a Petrobrás (ver caso “Petrolão”), fez bem em retirar o patrocínio da Petrobrás por um bom motivo: Se é para não ter piloto brasileiro na Equipe titular e não ter seus combustíveis sendo usados no carro, pra que ficar bancando um inglês e um espanhol na equipe?

2fast4u
Membro
2fast4u

Já a Ferrari não se compreende como gasta milhões e não tem um piloto italiano. A Mercedes não tem nenhum Alemão. Andam todos a dormir. Devia ir gerir estas grandes empresas 👀

ecs
Membro
ecs

A McLaren é patrocinada pela Coca-Cola, para começar. Além disso, a Rich ficou coma imagem muito chamuscada devido à atribulada relação com a Haas.

últimas F1
últimas Autosport