F1, Toro Rosso: Uma dupla inesperada

Por a 11 Fevereiro 2019 17:21

A Toro Rosso volta a ter uma dupla nova de pilotos para a época 2018. Desde a época 2014 que a equipa tem tido trocas frequentes de pilotos, mas a época 2019 será provavelmente aquela que nos deu a dupla menos provável.

A saída de Pierre Gasly para a Red Bull e a dispensa de Brendon Hartley abriu a porta a dois pilotos. Foram vários os candidatos mas a escolha recaiu sobre Daniil Kvyat e Alexander Albon.

Daniil Kvyat foi em tempos uma das grandes esperanças da Red Bull. Subiu à F1 em 2014, com rasgados elogios de Helmut Marko, foi considerado o melhor rookie desse ano e no ano seguinte foi a escolha para substituir Sebastian Vettel que estava de saída para a Ferrari. O primeiro ano foi de altos e baixos, mas a chegada de Verstappen à F1 precipitou a sua queda, e foi despromovido à Toro Rosso em 2016 depois do erro no GP da Rússia. O resto do ano foi fraco com o piloto claramente afectado com o sucedido e em 2017 não chegou a terminar o ano, tendo sido dispensado da equipa de Faenza. Regressa em 2019, depois de um ano afastado das pistas apesar de se ter mantido ligado à F1, como piloto de simuladores da Ferrari. É um regresso algo estranho e pouco provável, mas que mostra bem a falta de opções que a Red Bull tem neste momento no seu programa de jovens pilotos. Tem 72 GP no seu CV, e dois pódios. Antes disso venceu o GP3 em 2013 e a Fórmula Reanault 2.0 Alps em 2012.

Outra prova disso é a escolha de Alexandre Albon, que terminou a F2 em segundo lugar, depois de boas prestações. O piloto não estava ligado à Red Bull e tinha tudo encaminhado para ser piloto Nissan na Fórmula E. A Red Bull resolveu apostar no jovem britânico de origem tailandesa, que assim conseguiu um lugar na F1, cumprindo o seu desejo de se estrear no grande circo. Apesar de ter demonstrado qualidade nas categorias inferiores, terá de provar que é uma solução para a Red Bull. Além do terceiro lugar na F2 em 2018 foi vice-campeão no GP3 em 2016.

É uma dupla com algum potencial. Kvyat não é o talento que diziam no inicio da sua aventura na F1, mas não é também tão mau quanto o pintaram. Tem qualidade para levar o barco da STR a bom porto. Quanto a Albon, é um piloto que entusiasma mais. As suas prestações na F2 foram muito boas e esteve na luta pelo título até ao fim, contra George Russell. Pode ser uma das surpresas positivas deste ano. É também a dupla ideal para a Toro Rosso. Há juventude, e talento “low cost” numa equipa habituada a lidar com pilotos jovens e inexperientes.

4
Deixe um comentário

Please Login to comment
  Subscribe  
Notify of
p1one
Membro
p1one

“Alexandre Albon, que terminou a F2 em segundo lugar”

“Além do terceiro lugar na F2 em 2018”

Então, em que ficamos?

Eu_não_sou_o_frenando_afondo
Membro
Eu_não_sou_o_frenando_afondo

Se calhar tem um irmão ou então correu em duas equipa diferentes, fazendo tantos pontos que conseguiu ter dois lugares na classificação? xD

Eu_não_sou_o_frenando_afondo
Membro
Eu_não_sou_o_frenando_afondo

Provavelmente a dupla mais fraquinha do actual plantel. Um desconhecido que não fez grande coisa nas formulas de formação (Albon) e um piloto que já teve bem mais oportunidades que muitos outros e quando lá esteve não demonstrou ser assim tanta coisa (a nível mental então demonstrou ser muito fraco). O já conhecido Kvyat.

Deve ser coincidência que assim que saiu Sirotkin (O único russo que estava no plantel), voltou Kvyat, o tal Kvyat que foi promovido para a TR no mesmo ano que entrou o GP da russia para o calendário.

Yep, deve ser tudo coincidência.

MVM
Membro
MVM

O «Alexandre» Albon tem algum parentesco com o «Sébastien» Vettel ou com o «Adrien» Newey?

últimas F1
últimas Autosport