F1: Sainz nunca conseguiu encontrar o equilíbrio certo no seu carro

Por a 5 Dezembro 2018 13:55

Carlos Sainz teve uma passagem algo atípica pela Renault. Não se pode dizer que o espanhol tenha estado mal, mas não mostrou todo o potencial que evidenciou na Toro Rosso.

O espanhol entrou na F1 sob a sombra de Max Verstappen. Todos olhavam já para Max como a futura estrela da F1 e muito esqueceram-se de olhar para o outro lado da box, onde Carlos Sainz dava os primeiros passos na F1, corria o ano de 2015. Verstappen evidenciou-se de forma clara, marcando 49 pontos, mas os 18 pontos de Sainz não podem ser menosprezados, pois o espanhol teve 8 abandonos, contra cinco de Verstappen.

Os dados estatísticos poderão enganar, mas Sainz mostrou qualidade no seu primeiro ano na F1 e assim continuou a fazer na Toro Rosso. A mudança para a Renault não foi pacifica, mas o piloto conseguiu mudar-se para uma equipa com mais recursos no final de 2017 e este a época de 2018 ao serviço dos franceses. Mas aí o cenário mudou um pouco de figura e Sainz não evoluiu como se esperava. Alternou boas exibições com fins de semana apagados e Nico Hulkenberg, voltou a ser o homem mais forte da marca do losango.

Sainz explicou alguns dos problemas que enfrentou, especialmente em qualificação:

“Quando se tratou de encontrar os limites do Renault, tive algumas dificuldades”, disse Sainz, quando questionado pela autosport.com. “Eu aplicava um pouco mais de pressão nos travões, e o carro ficava logo muito mais instável. É justamente isso que tentei corrigir durante o ano todo – tentando encontrar estabilidade quando tentei encontrar o limite do carro. Estou um pouco confuso com isso. Durante o ano todo foi uma espécie de jogo do gato e do rato em busca do equilíbrio certo. Jogamos muito com os set-ups para minimizar a situação, mas às vezes tive que fazer muitos compromissos para encontrar a estabilidade certa.”

“No geral, não consegui tirar 100% do carro e nunca me senti confortável na qualificação para extrair os últimos décimos. É verdade que em algumas sessões de qualificação consegui fazer um bom trabalho, e fui muito consistente; sempre na Q3, sempre muito perto do limite, mas nunca conseguindo encontrar o décimo que eu consegui tirar no Toro Rosso ou outros carros “.

“Houve altos e baixos durante a temporada, especialmente durante as qualificações”, disse ele. “Acho que durante as corridas eu sempre fui forte, sempre estive lá para marcar pontos. Portanto tenho duas opiniões sobre esta época. 

“Nos fins de semana em que poderíamos ter conseguido muitos pontos, como em Paul Ricard e no México, tivemos uma grande falha de fiabilidade que não nos permitiram ficar um pouco mais alto no campeonato e marcar mais alguns pontos. Eu sei que o que eu fiz a nível pessoal, é muito bom, mas estou desapontado por não ter encontrado aquela ligação com o carro que eu costumava ter na Toro Rosso ou na World Series, para ter um melhor desempenho na qualificação.”

Será Sainz capaz de mostrar mais do que fez na Renault, agora na McLaren, num cenário completamente diferente?

Sainz desiludido com as prestações nas qualificações de 2018

Visualizou de 4 artigos abertos

O AutoSport limitou a 4, o número de artigos
que poderá ler sem fazer login
Para continuar a ler livremente
os artigos AutoSport,
por favor faça login aqui
Caso não esteja ainda registado,
faça agora aqui o seu
registo gratuito
  • Não é possível alterar o nome de utilizador.

    9
    Deixe um comentário

    Please Login to comment
    5 Comment threads
    4 Thread replies
    8 Followers
     
    Most reacted comment
    Hottest comment thread
    8 Comment authors
    JabbaDiogo CarvalhoCágado1tnfsfcpgmail-comaugustto01hotmail-com Recent comment authors
      Subscribe  
    Notify of
    VarioR
    Membro
    VarioR

    Piloto fraco, vive mais do nome do pai do que pelas suas qualidades de pilotagem.

    Fala mais do que pilota. Se tivesse cabeça e fosse realmente bom, estaria neste momento na Red Bull ao invés do Gasly.

    Na McLaren vai penar.

    frenando_afondo
    Membro
    frenando_afondo

    Deve ter sido por isso que a RB bloqueou a sua continuação na Renault, por ser tão mau que o queriam de volta na TR. Depois o tiro saiu pela culatra, Sainz mandou-os à merda e Ricciardo à merda os mandou, indo cada um deles para outra equipa.

    augustto01hotmail-com
    Membro
    augustto01hotmail-com

    Fraquérrimo. Não sei como esse cara tá em evidência. Desde que entrou pra F1 não vi um resultado relevante no seu histórico. Tá parecendo aqueles pilotos tipo Ericsson ou Stroll, porque até hoje não justificou estar no circo.

    MiguelCosta
    Membro
    MiguelCosta

    Um ano para tentar corrigir a instabilidade que a travagem provoca no carro diz tudo sobre este piloto. Como é que a McLaren foi buscar este piloto é daquelas coisas que me ultrapassa.

    tnfsfcpgmail-com
    Membro
    tnfsfcpgmail-com

    Piloto ao nível de qualquer outro piloto Português…
    Vejo comentários de “portuguesinhos”(sim, pequeninos) com ódio primário a tudo o que fala castelhano. Envergonham Portugal.

    Cágado1
    Membro
    Cágado1

    Boca desajustada. Não tenho dúvidas em pôr um espanhol, mais exactamente um asturiano, como dos melhores pilotos de F1 da sua geração. Já o Sainz… Mal está quem não sabe separar o gosto da avaliação.

    Alfista
    Membro
    Alfista

    Eu pessoalmente tenho algum e não é por isso que sou portuguezinho. Mas ódio a parte o sainz é fraco demais pra F1. E ódio a oarte novamente sempre gostei muito do Alonso como piloto claro. Apenas em pista. O resto( colega de equipa etc) é o que se sabe.

    Cágado1
    Membro
    Cágado1

    Se teve um ano para acertar o Renault e não conseguiu, enquanto o seu colega não se queixou, como esperar que seja este piloto a liderar o ressurgimento da McLaren?…

    2fast4u
    Membro
    2fast4u

    Talvez tenha penado precisamente porque andava à procura de um equilíbrio que o Renault simplesmente não tinha. O piloto não deve adaptar o carro a si, mas sim adaptar-se ao carro e o Sainz claramente não conseguiu. Mas para mim teve outro problema: chama-se “Hulk”

    últimas F1
    últimas Autosport
    AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/motosport.png