F1: Pirelli quer acabar com escolha de pneus

Por a 18 Maio 2020 13:00

A crise da Covid-19 mudará muito o paradigma da competição em 2020. A Pirelli também irá ser afetada e pretende acabar com a escolha de pneus.

A F1 2020 será uma versão adapta do que estamos habituados, quer ao nível do calendário, quer ao nível de algumas regras e a Pirelli quer acabar com a escolha de pneus para os GP. As equipas escolhem 13 conjuntos de pneus do fornecedor italiano, tendo de optar por borrachas macias, médias e duras. Cada equipa escolhe a combinação que mais lhe agrada, com uma antecedência de oito semanas para provas europeias e 14 semanas para as provas “fora de portas” para permitir a fabricação dos mesmos. Mas com a crise pandémica e o calendário apertado, tal pode ser impossível de fazer para a Pirelli:

“Se tivermos a primeira parte da temporada na Europa e depois nos mudarmos para a Ásia e a América, num período muito curto, isso significa que, para a produção, será um período bastante movimentado”, disse Mario Isola ao Motorsport.com. “Provavelmente temos que produzir algo na região de 35.000 pneus em alguns meses, e não num ano. Podem imaginar o impacto na produção, que é bastante grande.”

“Estamos a discutir com as equipas. E devo dizer que elas estão bastante flexíveis para encontrar soluções sensatas, como, por exemplo, uma alocação padrão ou alguma flexibilidade a esse respeito, para estarmos prontos para fornecer num período muito curto de tempo. “

Ao limitar as escolhas, Isola está convencido de que tal não afetará as equipas, pois geralmente adotam estratégias semelhantes.

“Acredito que seja viável, considerando que todos estão interessados ​​em reiniciar a temporada e tornar tudo possível para ter a melhor solução. Não vejo problema nisso.

“Ainda continuamos a querer deixar a escolha para as equipas, se possível”, acrescentou. “Depende da antecedência com que temos as informações dos eventos.”

“Não acho que a alocação padrão vá colocar em causa qualquer estratégia diferente, porque com o sistema atual, temos alguns conjuntos que precisam ser devolvidos após cada sessão.”

“Não estamos a dizer que cada equipa terá de devolver o mesmo número de pneus ou o mesmo tipo de pneus no final de cada sessão”, explicou ele. “Eles terão a mesma alocação no início do evento, mas poderão terminar com uma alocação diferente para a qualificação e a corrida. É o que acontece hoje.”

“Se eu olhar para o ano passado, tivemos equipas que escolheram pneus diferentes, compostos diferentes, mas depois convergem para a qualificação e a corrida para ter mais ou menos a mesma alocação. Acho que não há problema com isso. “

“Para este ano, há um pouco mais de flexibilidade para a FIA mudar as regras. Não requer unanimidade”, disse Isola. “Obviamente, existe um fluxo, existe um sistema e deve ser respeitado. Acredito que para decisões urgentes, o Conselho Mundial também pode usar o sistema de votação electrónica como acontece nos últimos dois meses para outras decisões. “

Deixe aqui o seu comentário

últimas F1
últimas Autosport