F1, Grosjean: “A Renault teve receio”

Por a 9 Janeiro 2019 14:09

Romain Grosjean teve um 2018 de altos e baixos… ou melhor de baixos e altos, pois a época começou de forma desastrosa, com erros  comprometedores e terminou com o francês a mostrar bom andamento, compostura e bons resultados.

A Haas viveu muito do momento de forma dos seus pilotos, mas mostrou uma grande evolução em 2018. Terminou a época em quinto lugar, à frente de equipas com mais experiência, pois a estrutura americana tem apenas 3 épocas no seu CV. Grosjean acredita que a equipa deu um salto e que agora pertence ao grupo das equipas do meio da tabela, algo que ficou claro na luta com a Renault que precisou de usar alguns truques para travar o ímpeto da Haas, como aconteceu em Monza, em que a equipa francesa colocou um protesto devido ao uso indevido um fundo plano por parte da Haas, depois da FIA ter pedido às equipas para mudarem um pormenor nesse componente. A equipa não fabrica as suas peças e pediu um adiamento a FIA para a introdução do fundo para Singapura mas a FIA respondeu que se a Haas surgisse em Monza com fundo plano que estavam a usar, poderiam ser alvo de protesto por parte de outras equipas. A Renault aproveitou e fez o protesto e como o fundo plano estava ilegal, Grosjean perdeu sexto lugar (Sainz tinha sido oitavo e Hulkenberg 13º).

Para o piloto francês essa foi a prova de que a Renault estava com receio da Haas:

“Não acho que tenha sido uma atitude com desportivismo”, disse ele sobre o protesto da Renault. “Mas sim eles estavam com receio, o que é bom. Eles devem ter receio no futuro.”

“Há algumas coisas [que a equipa tem de melhorar]. Um exemplo é que não produzimos peças, por isso temos de as fabricar  fora e às vezes demora um pouco mais. Esse é um exemplo que eu posso dar , entre outros. Algo que levaria três dias para fazer, para nossa equipa talvez demore três semanas. Como o fundo plano, que não tivemos tempo de trocar para  Monza. O ganho de desempenho era zero. Absolutamente zero, mas nós não tivemos tempo  e Renault jogou com isso. O Gunther [Steiner] está bem ciente  do que é preciso fazer. Ele entende muitas coisas e isso é ótimo. Nós conversamos com muita frequência, mas ele está ciente das coisas que precisamos melhorar e é algo em que estamos a trabalhar. O resto é apenas um processo de crescimento normal que temos de fazer.”

A Haas ficou a 29 pontos da Renault. Se contarmos os oito pontos de Monza, 27 pontos que potencialmente poderiam ter sido ganhos em Melbourne, vemos que a Haas ficou muito perto de ultrapassar a Renault no campeonato, pelo que o raciocínio de Grosjean faz sentido. Mas é preciso ter em conta o trabalho de reestruturação que a Renault fez no ano passado e a evolução que é esperada pela parte do chassis e do motor. A Haas poderá subir ainda mais o nível em 2019 mas certamente que a Renault também fará o mesmo. Terão os franceses motivos para recear a Haas?

3
Deixe um comentário

Please Login to comment
  Subscribe  
Notify of
jmiguel-godinhoaybhislabor-com
Membro
jmiguel-godinhoaybhislabor-com

Ok ta bem, hoje aprendi algo mais! a Haas usava um fundo plano ilegal, foi avisada pela FIA, e a Renault é que usou truques e não teve desportivismo!? Este franciu ressabiado por ter sido corrido da Renault tem estas declarações num desporto que envolve milhoes, estava à espera do quê? Que a Renault fechasse os olhos.

Eu_não_sou_o_frenando_afondo
Membro
Eu_não_sou_o_frenando_afondo

“Não acho que tenha sido uma atitude com desportivismo” Sim, porque não é nada anti-desportivo usar um fundo ilegal… Então tá Grojean. Mas tudo bem, vamos então falar de atitudes anti-desportivas. E que tal falar do protesto que a Haas fez no final do campeonato contra a Force India? Quando esta já tinha sido autorizada pela FIA a usar os carros da equipa? Suponho que a Haas também estava com receio? Ou então estava a ver se conseguia lixar uma equipa que sem os problemas financeiros que teve teria batido a Haas. Mas suponho que seja uma atitude muito desportiva… Ler mais »

no-team
Membro
no-team

Em primeiro lugar há que dizer que a Haas fez um grande trabalho, melhorou muito em relação à temporada anterior. Depois é preciso dizer que aparentemente o carro estava mesmo ilegal, por isso a Renault não fez nada mais do que fazer o seu trabalho e denunciar a situação, não se tratou de nenhuma atitude pouco desportiva. Mau mesmo, foi a época do Grosjean. Na temporada passada o francês terminou a época no 13ºlugar, este ano conseguiu a proeza de terminar no 14ºlugar com um monolugar muito superior. Percebemos como foi má a temporada do Grosjean quando o Magnussen na… Ler mais »

últimas F1
últimas Autosport