/formula1/f1/f1-as-pessoas-da-ferrari-nao-sao-livres-nem-confiantes-para-tomar-decisoes/
F1: As pessoas da Ferrari “não são livres nem confiantes para tomar decisões” | AutoSport

F1: As pessoas da Ferrari “não são livres nem confiantes para tomar decisões”

Por a 2 Agosto 2022 15:15

O antigo mecânico da McLaren, Marc Priestley, diz que é necessária uma mudança de cultura na Ferrari, com base no que os seus amigos da Scuderia lhe disseram. A Ferrari concebeu um carro (o F1-75) que é capaz de dar ‘luta’ ao RB18 da Red Bull, porém está cada vez mais longe do título e a grande causa para o deslize da equipa italiana tem sido a própria equipa, começando pelos seus estrategas.

O exemplo mais recente aconteceu no Grande Prémio da Hungria, onde a equipa optou por colocar Charles Leclerc em pneus duros, apesar de outros pilotos já os terem experimentado e chegado à conclusão de que não eram uma aposta acertada para a corrida. Conclusão? Charles Leclerc caiu do primeiro para o sexto lugar, estando agora a 80 pontos de Max Verstappen na tabela de pilotos, uma vez que o neerlandês da Red Bull aproveitou o deslize dos rivais e partiu de décimo rumo à vitória do Grande Prémio da Hungria.

Durante o podcast Chequered Flag da BBC, foi sugerido que a pausa de verão da Fórmula 1 é a oportunidade perfeita para a Ferrari reiniciar e corrigir os erros. No entanto, Priestley diz que nem a paragem vai fazer bem à Ferrari. Em vez disso, têm falhas profundamente enraizadas na equipa, que devem ser corrigidas. Concentrando-se no lado da estratégia, Priestley diz ter falado com amigos que trabalharam anteriormente na Ferrari, todos os quais lhe disseram não haver liberdade nem confiança quando se trata de tomar decisões estratégicas. Na sua opinião, a cultura dentro da equipa deve ser alterada e pessoas substituídas.

“Vou ser honesto, julgo que a pausa não lhes vai servir de nada ao longo desta época em particular”, disse Priestly. “Se olharmos para o que aconteceu [na corrida da Hungria], o F1-75 foi um dos carros mais rápidos no fim-de-semana do Grande Prémio, mais rápido do que os Red Bull na maioria dos casos. Portanto, sim, as temperaturas foram diferentes e isso pode tê-los afetado um pouco, mas foi tudo uma questão de estratégia. Os pilotos fizeram um trabalho decente. Mas só estavam a fazer um trabalho tão bom quanto podiam, tendo em conta o carro e os pneus que tinham, e era tudo uma questão de seleção de pneus”.

“Ouvimos falar de como Max Verstappen mudou de ideias sobre quais pneus com que iria começar a corrida. Eles iam começar com os duros, mas devido às temperaturas aperceberam-se de que não ia funcionar. A Ferrari optou pelos pneus duros mais tarde na corrida. Foi uma decisão desastrosa. Acabou com qualquer esperança de Charles Leclerc vencer a corrida. E essas decisões continuam a vir corrida após corrida”, explicou o ex-mecânico da McLaren.

“Por isso, para mim, a Ferrari não precisa de férias de verão. Eles precisam de um recomeço, pessoas vão ter que sair e não há engano quanto a isso. Não sei quem vai ser o primeiro, Mattia Binotto [chefe de equipa] está claramente no topo, ele vai enfrentar as maiores perguntas, mas isto parece ser um problema cultural enraizado na Ferrari. Tenho muitos amigos que trabalharam lá no passado, todos eles dizem a mesma coisa. As pessoas não podem tomar decisões, não são livres de tomar decisões, não têm confiança para tomar decisões quando isso é importante. E, em última análise, é exatamente isso que se tem de ser capaz de fazer. Quando se é uma equipa de Fórmula 1, é tudo uma questão de tomar decisões em tempo real. A Red Bull acertou, a Ferrari falhou horrivelmente”.

Por Eduardo Moreira

Subscribe
Notify of
3 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
4RcNg
4RcNg
1 mês atrás

Chamem estes: Rory Byrne, Giorgio Ascanelli, Aldo Costa, Willem Toet, Nikolas Tombazis, Ross Brown, Giles Simon,  Paolo Martinelli e Jean Todt.
Eles põem tudo a dar certo.
E o moço (JPJE) dos fatos amarelos que acorde! 😃

4RcNg
4RcNg
1 mês atrás

Chamem estes: Rory Byrne, Giorgio Ascanelli, Aldo Costa, Willem Toet, Nikolas Tombazis, Ross Brown, Giles Simon,  Paolo Martinelli e Jean Todt. ‘Elvis’ também podes aparecer.
Eles põem tudo a dar certo.
E o moço (JPJE) dos fatos amarelos entretanto que acorde! 😃

garantia4
garantia4
1 mês atrás

É só veneno. E o autosport, sem surpresa, a ir buscar a análise de um inimigo da Ferrari. É como se destacassem a opinião de um funcionário do FCP sobre a vida do SLB ou vice-versa. Onde está o mesmo tratamento às outras equipas? À Alpine?? À Red Bull durante os anos 2014 a 2021 em que andou a pastar?! E já sem falar da adorada McLaren.

últimas Autosport Exclusivo
últimas Autosport
autosport-exclusivo