/formula1/f1/f1-alpine-nao-consegue-deixar-de-ser-renault/
F1: Alpine não consegue deixar de ser Renault | AutoSport

F1: Alpine não consegue deixar de ser Renault

Por a 16 Maio 2023 10:31

Em 2021, a Renault saiu de cena para dar lugar à Alpine. Na prática, pouco mudou, pois a Alpine era apenas mais uma marca do Grupo Renault que precisava de visibilidade para efeitos de marketing. Mas a mudança para a Alpine também significou uma quebra com o passado, com a liderança do “antigo projeto” Renault a ser removida para a entrada de Laurent Rossi, com Luca de Meo (CEO do grupo Renault) por perto. Mas será que a mudança surtiu efeito?

Aparentemente não. Rossi entrou, e com ele veio Otmar Szafnauer, que trocou a Aston Martin pelos franceses. A reestruturação (mais uma) trouxe um novo plano: 100 corridas para evoluir e chegar à luta pelo título. Um plano mais realista, mais exequível e menos dado a instabilidade. No passado, a janela temporal para chegar ao topo parecia sempre demasiado pequena e os objetivos foram invariavelmente falhados.

Ora esta nova reestruturação parecia dar a estabilidade e o plano realista para a Alpine. Mas em 2023, um ano após a chegada de Szafnauer à equipa, já há rumores de uma possível substituição. Laurent Rossi criticou de forma pública o rendimento da equipa e nomes como Éric Boullier e até Mattia Binotto começam a ser falados como potenciais substitutos. Ou seja, passamos das promessas incumpridas à instabilidade.

Szafnauer também não está muito contente e já disse que qualquer mudança na equipa é demorada, que o simulador da equipa está ultrapassado e que para pedir um novo simulador ou até mais pessoal qualificado a demora é grande. 75 corridas depois do início deste novo projeto, os sinais de descontentamento começam a ser claros. E, tudo somado, temos a Alpine a não conseguir disfarçar a sua “faceta Renault” em que a instabilidade é grande e os objetivos não são cumpridos. A F1 precisa de uma Alpine forte, a Alpine precisa mostrar que pode ter sucesso na F1, mas até agora tem feito tudo para minar o seu esforço. Até quando? Será que vamos ter (mais uma) reestruturação ainda este ano? Será que vamos ter mudança de liderança. As equipas com mais sucesso nas últimas 15 épocas têm mantido a sua liderança inalterada e essa estabilidade tem dado frutos.

Subscribe
Notify of
2 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Pity
Pity
9 meses atrás

A Renault ainda é estatal? Se é, não esperem melhorias.
Mudar o nome, só por si, não faz milagres, é preciso uma gestão dinâmica, sem borocracia e gente capaz, tudo o que a Renault /Alpine não é. Não incluo os pilotos e o Szafnauer nas minhas críticas.

Cágado1
9 meses atrás

E fala-se em diluição do capital, com a entrada de um novo sócio minoritário, que poderá ter uma papel importante na gestão. Diria que a experiência passada con a Genii o desaconselha. Quanto aos nomes, achoe o Szafnauer tem as qualidades para levar o projecto por diante, do ponto de vista organizativo e competitivo. O Binotto poderia ser bem vindo para direcção técnica, que não me parece tão forte. Tb não acredito em nenhum dos pilotos como desenvolvedor de carros, tenho os 2 como mais reguilas e impacientes, sem grande propensão para o trabalho de fundo (apesar da passagem do… Ler mais »

últimas Autosport Exclusivo
últimas Autosport
autosport-exclusivo
últimas Automais
autosport-exclusivo