Patrick Cunha: “Ainda me sinto algo penalizado por alguma falta de ritmo competitivo”

Por a 17 Agosto 2013 20:43

Desde a manhã de hoje, quando se iniciaram as atividades para o Lamborghini Nº 7 da equipa ACL by Rodrive, que ficou claro que as exigências do traçado eslovaco para os carros e pilotos iria impor um dia de verdadeiro trabalho de desenvolvimento para toda a equipa. Com um bom arranque no primeiro treino livre que sugeria boas indicações para o resto do dia, infelizmente o desconhecimento da pista e a rapidez e carater técnico da mesma obrigaram a tentativas de evolução cujo resultado nem sempre tenha sido o mais produtivo.

Já da parte da tarde, no treino de qualificação Matheus Stumpf e Patrick Cunha empenharam-se para atingir uma boa posição na grelha de partida para a corrida de amanhã e demonstrar a sua competitividade, em particular dentro da sua categoria, a Pro-Am. No entanto, perante os desafios do Slovakiaring com as suas longas voltas e limitações de rodagem fruto desta característica, os pilotos acabaram por realizar uma qualificação menos conseguida mas que mesmo assim garantiu a 16ª posição da grelha, com um tempo averbado pelo piloto brasileiro Matheus Stumpf. Com este resultado, e saindo bem no meio do pelotão na ‘Qualifying Race’, continuam bem de pé as expectativas de uma boa prestação nesta deslocação do FIA GT Series á Eslováquia, que possa garantir também a continuidade da equipa nas primeiras posições da categoria Pro-Am.

Matheus Stumpf reconheceu as dificuldades fruto da estreia neste traçado,”… esta pista caracteriza-se pelas suas voltas longas e rapidez do traçado o que penaliza a quem cá nunca esteve. No primeiro treino livre senti-me bastante confiante e pareceu-me que teríamos um bom acerto para continuar a evoluir, mas infelizmente tal não aconteceu. Como disse, a dimensão da pista limita que a possamos conhecer da melhor forma com as sessões de treinos disponiveis. Conseguimos melhorar um pouco na qualificação, mas todas as outras equipas trabalharam também muito forte, mas de qualquer forma, apesar de termos que sair um pouco atrás vamos concerteza dar o nosso melhor amanhã nas duas corridas e somar mais pontos importantes para o campeonato.”

Também Patrick Cunha, a experimentar pela primeira vez esta pista destacou as dificuldades. “Neste campeonato sabemos que todos os pormenores são importantes, e aqui, o nosso desconhecimento do traçado associado ás suas desafiantes características tornaram bastante difícil a nossa evolução ao longo dos treinos, pois com voltas longas acabamos também por não poder aprender o traçado como gostaríamos. Senti-me a evoluir ao longo do dia, pois na realidade ainda me sinto algo penalizado por alguma falta de ritmo competitivo. Amanhã vou realizar a partida para a ‘Qualifying Race’ e estou motivado para, apesar de sairmos algo atrás na grelha, trabalhar e aplicar-me para que possamos alcançar um belo resultado aqui na Eslováquia.”

Amanhã, as emoções na pista perto de Budapeste começam bem cedo e serão repartidas em duas corridas de 60 minutos, a ‘Qualifying Race’ e a ‘Main Race’ e toda a equipa Rodrive acredita que poderá alcançar um resultado meritório nesta etapa e continuar no pódio da categoria Pro-Am do FIA GT Series.

últimas Pistas
últimas Autosport