CER-GT: Edgar Florindo termina em sexto

Por a 16 Abril 2018 17:49

Em Valência na abertura do CER-GT estiveram mais dois carros portugueses. Edgar Florindo esteve sempre entre os mais rápidos dos TCR, conseguindo um magnífico sexto posto final com o seu SEAT Leon TCR. Menos afortunados, Jorge Rodrigues e Patrick Cunha, conseguiram excelentes tempos entre os GT, mas um problema de origem electrónica no Maserati GranTurismo GT4 deitaria tudo a perder com a dupla a ter que abandonar.

“Não foi um fim-de-semana fácil a nenhum nível, mas no final a recompensa de saber que andamos sempre na luta pelas primeiras posições e a muita experiência que consegui retirar desta presença, são factores que nos deixam dizer que cumprimos os objectivos para esta primeira presença no CER. Consegui a volta mais rápida da corrida entre os TCR e não fora o facto do nosso SEAT não estar preparado para corridas de resistência e por isso sem equipamento para reabastecimento rápido, teria terminado pelo menos no pódio. Foi uma corrida de 2 duas horas sempre em ritmo de “sprint” e por isso muito dura em termos físicos, mas apesar de tudo consegui manter-me sempre muito concentrado e consistente. Gostei muito do “feeling” do carro, com a Veloso Motorsport a fazer um trabalho excelente em todos os capítulos”, comentou Edgar Florindo.

“Não foi a estreia que pretendíamos no CER/GT, com o nosso Maserati a não quer colaborar. Os nossos tempos nos treinos demonstraram inequivocamente que tínhamos carro e equipa para ganhar a corrida, mas com os problemas que tivemos acabamos por não conseguir esses objectivos. Nos treinos cronometrados estava ao volante do carro, quando tive de entrar porque o carro ficou bloqueado em terceira velocidade, fizemos um “reset” ao sistema e a caixa voltou a funcionar normalmente. Regressei à pista e ainda deu para fazer a pole entre os GT C3, o que nos deixou satisfeitos e com muita motivação para a corrida. Arranquei bem no Domingo, mas quando rodava já em terceiro da geral, o carro voltou a ficar com a caixa “presa” desta vez em quarta velocidade e tive de entrar nas boxes. Apesar dos esforços da equipa não foi possível resolver o problema e por isso tivemos de desistir desde logo. Senti-me muito bem neste meu regresso aos GT e agora é olhar já para a próxima prova, onde tudo vai correr certamente melhor”, disse Patrick Cunha.

“Foi de facto pena os problemas que tivemos, porque ficou demonstrado que temos um carro competitivo e uma dupla de pilotos muito equilibrada para enfrentar este desafio do CER/GT 2018. Conseguimos excelentes tempos e ser sempre os mais rápido na nossa categoria, o que faz com que parte dos objectivos tenham sido cumpridos. Vamos analisar agora o que se passou com o carro e tentar perceber qual o problema electrónico que faz com a caixa entre num tipo de “modo de segurança” e deixe de funcionar. Eu pela minha parte consegui recuperar algum do ritmo de competição perdido devido a um ano de paragem e sinto-me agora bem mais preparado para os próximo desafios”, disse Jorge Rodrigues.

O Campeonato de Espanha de Resistência – GT 2018, volta ao activo no fim-de-semana de 19 e 20 de Maio, com a deslocação até ao Circuito de Motorland-Alcañiz.

Jorge Rodrigues e Patrick Cunha foram obrigados a desistir.

Visualizou de 4 artigos abertos

O AutoSport limitou a 4, o número de artigos
que poderá ler sem fazer login
Para continuar a ler livremente
os artigos AutoSport,
por favor faça login aqui
Caso não esteja ainda registado,
faça agora aqui o seu
registo gratuito
  • Não é possível alterar o nome de utilizador.

    Deixe um comentário

    Please Login to comment
      Subscribe  
    Notify of
    últimas VELOCIDADE
    últimas Autosport
    AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/motosport.png