/ralis/wrc/wrc-rali-de-portugal-os-numeros-impressionantes-da-prova/
WRC, Rali de Portugal: os números impressionantes da prova | AutoSport

WRC, Rali de Portugal: os números impressionantes da prova

Por a 25 Maio 2022 15:09

O maior evento desportivo que anualmente decorre em Portugal tem números verdadeiramente impressionantes em praticamente todos os capítulos relacionados com a sua organização, a começar pela logística e a terminar na segurança, talvez um dos itens mais importantes para o sucesso do Vodafone Rally de Portugal.

Considerado por cinco vezes o melhor rali do mundo, o Vodafone Rally de Portugal é o maior evento desportivo realizado no país e que envolve uma logística impressionante, especialmente a partir do dia em que sai para a estrada, embora o seu planeamento comece, na verdade, com muitos meses de antecedência…

Para que nenhum pormenor falhe durante o evento, a estrutura do Automóvel Clube de Portugal concentra mais de 800 elementos nas mais diversas áreas ligadas à organização, se bem que este número suba para as 1.700 pessoas, se considerarmos fornecedores diretos e elementos afetos à segurança privada.

Só no que diz respeito às forças de segurança, o Vodafone Rally de Portugal envolve 2.800 operacionais da GNR, 175 bombeiros e ainda 110 elementos do INEM, a que se juntam, ainda, mais 450 marshalls distribuídos pelas 21 classificativas que compõem o programa competitivo.
No centro operacional, instalado, como habitualmente, na Exponor, concentram-se todos os oficiais do rali para uma coordenação geral e em tempo real. Além do diretor de prova e dos seus dois adjuntos, o Head Quarter junta os delegados FIA, os responsáveis pelo percurso e pela segurança, o médico chefe, o coordenador dos resultados e dos marshall, assim como 15 operacionais da GNR e seis bombeiros, num total de 38 elementos.
Além das mais de 450 viaturas afetas diretamente à organização, existem ainda cinco helicópteros ao serviço da prova (dois para sobrevoarem cada troço antes da partida), com base em 36 heliportos. Durante o rali, um avião operado pela Força Aérea estará permanente no ar, assegurando as comunicações e as transmissões em direto.
Entre meios logísticos e humanos, quilometragens e outras curiosidades, veja aqui alguns dos números que contribuem para que a prova do Automóvel Club de Portugal seja tão especial.

141,2 milhões de euros é o impacto gerado pelo Vodafone Rally de Portugal, sendo que mais de metade deste valor (73 milhões) corresponde a despesa direta feita nas regiões por onde passa a prova;
14.000 lugares de bancada disponíveis para o público ao longo de toda a prova;
12.500 credenciais distribuídas para pessoal afeto à prova;
7.500 viaturas credenciadas, incluindo 400 viaturas diretamente ligadas à organização;
1.522,89 km é o percurso total da 55ª edição do Vodafone Rally de Portugal;
343,30 km serão este ano disputados ao cronómetro pelos concorrentes do Vodafone Rally de Portugal, ao longo de 22 classificativas;
16.000 estacas utilizadas ao longo de todo o percurso do rali;
10.000 placas com a mais variada sinalética, para público e concorrentes;
3.000 operacionais ligados às forças de segurança no conjunto dos quatro dias do rali;
700 agentes da GNR estarão na estrada em cada um dos quatro dias do rali;
1.800 metros quadrados de área de tenda coberta;
1.300 unidades de jerseys de plástico utilizadas para delimitar o percurso das Super Especiais;
800 elementos ligados à organização nos dias de prova;
700 unidades de jerseys de cimento utilizados no percurso;
450 marshalls zelam pela segurança nos 21 troços do rali;
500 postos de trabalho na Exponor durante os quatro dias de prova;
175 bombeiros estão ao serviço durante o evento;
110 elementos do INEM garantem o socorro rápido;
100 equipas inscritas nesta edição, em representação de 25 nacionalidades;
140 km rolos de manga para delimitação das zonas de público;
55 edições do Rally de Portugal são cumpridas em 2022;
50 km de rolo de rede utilizados para delimitação das ZE;
37,24 km é a extensão da classificativa de Amarante (SS12/15), a maior desta edição;
34 heliportos são utilizados pelos cinco helicópteros ao serviço da prova;
26 equipas portuguesas inscritas;
12 carros da categoria “Rally1” estão inscritos nesta edição da prova;
10 km de grade baixa e 5 km de grade alta são utilizadas em vários pontos do percurso;
4 é o número de dias de prova;
2,82 km é a extensão da Super Especial de Coimbra, a classificativa mais curta desta edição;
1 avião no ar durante todo o rali para assegurar todas as comunicações.

Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
últimas Ralis
últimas Autosport
ralis