WRC: O regresso de Jarmo Lehtinen

Por a 8 Agosto 2019 17:15

Foi uma surpresa quando a M-Sport anunciou que o seu piloto de 25 anos do Campeonato do Mundo, Teemo Suninen, ia ter como navegador, no Rali WRC da Sardenha, o veterano finlandês Jarmo Lehtinen, de 50 anos, vencedor de catorze provas WRC, cinco anos depois da sua última prova num carro de rali de última geração.

Mais conhecido como o copiloto de Mikko Hirvonen, que se retirou do WRC no final de 2014, Jarmo logo descobriu que a vida no topo do desporto tinha mudado muito nos últimos cinco anos, embora tivesse competido em alguns eventos no ano anterior na Finlândia com o Hiroki Arai, na categoria de R5. Lehtinen fez um regresso espectacular à competição WRC quando levou Suninen ao segundo lugar na Sardenha, melhor classificação de sempre do piloto. Na calma antes do início do Neste Rally Finland, Jarmo falou-nos sobre as recentes mudanças que já tinha notado no desporto em 2019.

“Em muitos aspetos os ralis são diferentes. Quando comecei, os reconhecimentos eram mais longos e apesar de já estarmos a usar um único parque de serviço central, estava claro que os velhos tempos não voltariam. O mundo mudou, as infraestruturas mudaram, não podemos fazer quatro dias ou conduzir cinquenta etapas, não é possível. Mas para mim o formato de hoje em dia é muito bom. É eficaz, aproxima o rali dos fãs. Depois os carros desenvolveram-se muito, o mais importante talvez sejam os diferenciais e torná-los mais fáceis de conduzir. Também quando nos preparamos para os próximos ralis e o que aprendemos do rali anterior é diferente, há tantas ferramentas agora para fazer isso como os dados, vídeos e assim por diante. Agora é realmente fascinante”.

Os próprios carros são bastante diferentes, especialmente com as novas aerodinâmicas. Os carros são fascinantes ou assustadores? Como se comparam com os carros de rali da realidade anterior em que estiveste? “Fascinantes, principalmente. No Rally Finland estás a mentir se não estás com medo ou assustado a qualquer momento. Se não estás assustado, então não és suficientemente rápido. Especialmente em ralis como o da Finlândia, quando temos muitas estradas rápidas, a aerodinâmica desempenha um grande papel, na verdade, e faz o carro parecer muito mais calmo. Nos carros de última geração sentíamos que estávamos sempre mais no limite. Sei que agora andamos um pouco mais depressa nas estradas rápidas, mas parece mais estável”.

Apesar de todo o apoio aerodinâmico disponível, os carros ainda estão a saltar alto! “Os saltos são bastante grandes aqui na Finlândia e por vezes é possível voar muito mais longe, mas eles saltam com menos frequência. Consigo sentir a diferença em relação à última vez que estive num carro. Em terra, não se sente muito mais stress, talvez um pouco mais agora, mas nesse sentido, não vejo grande diferença. Eu ainda tenho que descobrir as mudanças nas forças G no asfalto! Há uma mudança no ritmo das notas base, talvez em algum tipo de troços técnicos que podem ser percorridos tão rapidamente agora, mas para mim não é uma diferença muito grande. A boa forma física sempre foi importante no caso de levarmos a competição a sério. Não vejo uma grande diferença”.

Jarmo vem de Lahti, ao sul de Jyvaskyla, não muito longe da terra natal Teemu, mas a diferença de idade é grande. Como vocês se estão a dar? “É muito bom. Ele podia ser meu filho; temos 25 anos de diferença de idade. Mas eu já conhecia Teemu antes, eu já tinha trabalhado na sua equipa, conhecia a sua abordagem ao rali, e estou realmente intrigado e fascinado com o nível de motivação e empenho que ele tem. Para mim, sinto-me privilegiado uma vez ter chegado ao topo e vivido o meu sonho, agora posso voltar a vivê-lo com um jovem talento, por isso é uma sensação muito agradável sentir na minha idade a mesma motivação que tinha há 25-30 anos atrás, é uma sensação fantástica”.

Por que parou quando a Mikko parou? “Quando a Mikko parou no final de 2014 eu não estava pronto para parar. Honestamente, o meu plano era parar talvez por um período sabático de seis meses e começar a procurar um novo lugar para 2016. Mas, entretanto, antes de eu começar o Tommi Makinen ligou-me sobre seu projeto Toyota e então, num estalar de dedos, três anos passaram a voar! Eu nem sequer me lembrava do quanto eu sentia falta de estar dentro de um carro de ralis, mas quando o trabalho de ajudar a construir a equipa TGR foi feito, e a equipa estava a funcionar, considerei o meu trabalho finalizado na Toyota. Podia ter ficado se quisesse, mas depois senti que a parte interessante estava feita. Era altura de um novo desafio. Agora vejo um lado diferente do rali. Antes de ir para a Toyota, estava apenas no carro, na Toyota vi coisas do lado da equipa e tive de cooperar muito com a FIA e com os organizadores. Foi realmente fascinante. Depois comecei a trabalhar com a Promotora e achei uma boa solução, mas quando o telefonema chegou, por volta da altura do Rali do Chile deste ano, para voltar à navegação, tive algumas noites sem dormir para pensar nisso. Eu sabia que minha paixão estava lá. Rally nestes carros, como dizem, é o melhor que se pode fazer com a roupa vestida! Quando a chamada do Tommi chegou foi uma decisão muito difícil, eu já tinha compromissos. Ainda acho que o carro de rali é a minha casa. A decisão de aceitar levou alguns dias, mas eu gosto de Teemu. Acredito no potencial dele”.

A casa do Jarmo é agora com a M-Sport que este ano está a correr sem Sebastien Ogier na equipa. Sebastien Ogier claramente deu muita inspiração a esta equipa. “Com certeza ele deu muito e foi um bom impulso quando esteve dois anos na equipa, e todos aprenderam o que é preciso para ter sucesso nos ralis. É sempre uma questão de recursos, mas eu tenho que dizer que estou impressionado com o que eles estão a fazer, sabendo de onde vêm. É realmente impressionante e estou a gostar de estar aqui. Passei a maior parte da minha carreira nesta equipa ao lado do Mikko, e nesse sentido também é um pouco como voltar a casa.”

Martin Holmes;

1
Deixe um comentário

Please Login to comment
  Subscribe  
Notify of
lemans1969
Membro
lemans1969

Grande Senhor este Jarmo.

Os ralis precisam de homens assim e para o Teemu Suninen ter a seu lado um navegador experiente como o Jarmo é uma mais-valia que já deu frutos na Sardenha e vai continuar a dar, certamente, no futuro.

últimas Newsletter
últimas Autosport