Paulo Antunes foi o último a rir

Por a 23 Novembro 2008 08:25

Com tudo para ser uma prova emocionante, ou não partissem os dois primeiros classificados separados por apenas quatro pontos, a sexta e última prova do Challenge Citroen C2/Total cedo acabou votada à monotonia. Culpados? “Apenas” dois! Paulo Antunes e Hugo Magalhães que venceram todas as especiais e, logo desde o primeiro troço, deixaram bem claro que só um inesperado percalço os faria perder de vista o segundo título consecutivo.

Contudo, nem mesmo o facto de Carlos Costa ter feito um pião logo no segundo troço que praticamente comprometeu as suas aspirações – na prova e no troféu -, evitou suores frios a Antunes que, já na derradeira secção da prova, viu o C2 desligar-se misteriosamente por várias vezes (incluindo na ligação), fruto de um problema na bomba de gasolina.
Por isso, mesmo terminando com 46,9s de vantagem sobre o seu directo adversário, o triunfo “não foi tão fácil como pareceu”, como logo explicou à chegada a Portimão. Resignado, Carlos Costa teve de contentar-se com um duplo segundo lugar, aproveitando também o despiste de Manuel Inácio, que arrancou uma roda do C2 na terceira especial e, por essa altura, rodava à sua frente.

O livro das desistências foi também assinado por Rodrigo Ferreira, cujo motor do C2 cedeu, cenário que abriu a porta do segundo pódio do ano para Carlos Lopes, também ele a braços com problemas quando teve que cumprir toda a manhã só com primeira velocidade.
Troféu (Após 6 provas): 1º P. Antunes, 236 pontos; 2º C. Costa, 232; 3º C. Lopes, a 194; 4º R. Ferreira, 158; 5º M. Inácio, 116; 6º I. Portela, 112; 7º P. Fins, 50; 8º S. Bastos; 41; 9º A. Neves, 34.

Segredo para o segundo título no Challenge

Após ter ganho cinco dos seis ralis do Challenge Citroen C2/Total, Paulo Antunes chegou pela segunda vez consecutiva ao título da competição organizada pela Automóveis Citroen. A exemplo do ano passado, o piloto de Fafe foi obrigado a fazer um “campeonato” de trás para a frente (por força do abandono no segundo rali do ano), necessitando de vencer todas as provas até ao final devido a um sistema de pontuação que penaliza demasiado as desistências. Por isso, à chegada a Portimão, Paulo Antunes mostrava-se particularmente satisfeito: “Penso que teremos ganho 90 por cento das classificativas ao longo do ano e voltamos a tirar todo o partido de um equipa muito bem estruturada. Agora, vamos tentar direccionar o projecto de 2009 para o novo C2 R2 Max que, neste momento, está ainda muito longe de se poder concretizar”.

últimas Ralis
últimas Autosport