ERC3, Pedro Antunes: “A este nível é impossível andar sem cometer qualquer erro”

Por a 29 Julho 2020 15:25

Pedro Antunes participou no Rali de Roma, prova de abertura do Europeu de Ralis e desistiu no último troço quando liderava a prova na sua categoria o ERC3. O piloto luso teve um início de rali algo prejudicado pelo comportamento dos pneus mas conseguiu terminar o primeiro dia de competição na segunda posição do escalão, a 11.2 segundos do líder, o estónio Ken Torn ao volante de um Ford Fiesta Rally4.

No segundo dia, Pedro Antunes foi vencendo classificativas e encurtando a diferença para a liderança até conseguir igualar e passar para o comando quando faltavam apenas dois troços cronometrados para o final, mas terceira passagem por Rocca San Stefano, seria fatal para as cores lusas já que Antunes sofreu um acidente e comprometeu o que seria um excelente resultado: “Foi muito complicado, como sempre é depois duma situação destas, pois faltava muito pouco para uma vitória que seria muito boa para mim, mas deitei a perder tudo no ultimo troço” começou por dizer PEdro Antunes ao 16Válvulas: “O acidente deu-se numa zona bastante rápida, a descer numa travagem para uma esquerda, que também era um bocadinho rápida, mas na travagem, que era uma zona muito estreita, demos um ligeiro toque no combro (ndr, pequena elevação de terreno) e acabámos por capotar. Foi tudo uma consequência de várias situações, os pneus, por exemplo que vínhamos a tentar gerir da melhor forma, já estavam completamente no fim, vínhamos a tentar fazer um troço igual ao que tínhamos conseguido anteriormente, sabíamos que não era possível melhorar face às condições em que estavam os pneus, quilómetros antes o Pedro (ndr, Pedro Alves, navegador) disse que vínhamos a fazer exatamente o mesmo tempo da passagem anterior, simplesmente essa curva não consegui fazer da mesma maneira, devia ter-me apercebido, mas sinceramente achei que dava para fazer a travagem e a curva daquela maneira, não deu, principalmente pela reação do carro, que na minha opinião foi um bocadinho pelo desgaste dos pneus.
A este nível é impossível andar sem cometer qualquer erro e desta vez não foi possível evitá-lo”, disse Pedro Antunes, que não concretizou o triunfo fruto do grande rali que vinha a fazer, mas deixou claro que tem andamento para disputar triunfos ao mais alto nível e por isso o objetivo declarado que tem, vencer na Peugeot Rally Cup Ibérica, mantém-se perfeitamente intacto. Não há azar que sempre dure…

2 comentários

  1. jose melo

    29 Julho, 2020 at 18:56

    Foi realmente uma pena. Mas aprende-se com os erros. Sendo certo que, e é verdade que os tempos pioraram na 2ª passagem, e se o Pedro Alves disse que estavam a fazer o mesmo tempo da 1ª passagem, significa que estavam a andar talvez mais do que deviam face ao desgaste dos pneus, e penso que havia margem para baixar um pouco o ritmo. Mas isto é de fora. O que fica são belissimos tempos que auguram boas provas, principalmente na PRCI.

  2. Jo19081727

    29 Julho, 2020 at 20:42

    Foi um fds de azar Tuga…
    O Grande Miguel88…Brad Binder erro e….
    O Pedro Antunes tb não esteve nada feliz… Eu penso que já daria pra gerir os tais 4,3 mas…
    O bom andamento ninguém apaga e… Felicidades pró futuro!

Deixe aqui o seu comentário

últimas ERC
últimas Autosport