Rali do Algarve, PE5: Pião de Teodósio, Bruno Magalhães mais líder

Por a 1 Novembro 2019 21:23

Ricardo Teodósio e José Teixeira (Skoda Fabia R5 Evo) fizeram um pião na super especial e perderam 7.7s para os vencedores da super-especial de Lagos, que teve uma extensão de 1.60 Km, o que significa que caíram para o terceiro lugar, atrás de José Pedro Fontes e Inês Ponte (Citroën C3 R5), e passam a distar 10.6s da dupla da Hyundai, que reforçou a sua liderança.

Bruno Magalhães e Hugo Magalhães (Hyundai i20 R5) têm agora 7.9s de avanço para José Pedro Fontes e Inês Ponte (Citroën C3 R5), uma margem curta, mas importante tendo em conta a forma como a prova tem vindo a decorrer.

Alexandre Camacho e Jorge Henriques (Skoda Fabia R5) são quartos a 12.2s, com Armindo Araújo e Luís Ramalho (Hyundai i20 R5) em quinto já a 30.5s.

Ao cabo dos cinco troços de hoje, apenas 1.06 pontos (virtuais) separam Bruno Magalhães do líder do campeonato, Ricardo Teodósio. Se terminasse assim, o algarvio seria o campeão. Faltam, como se sabe, os cinco troços de amanhã. Logicamente, todas as contas intermédias nada valem, a não ser como projeção, os pontos só contam mesmo depois da classificação final oficial.

O que esperar para amanhã?
Logicamente, tudo gira à volta das contas do título e a esse nível as coisas continuam em aberto para os quatro candidatos. Nenhum deles está na prática arredado do título, porque, por exemplo, três pilotos desistirem não é nada do outro mundo, mas é claro que as contas estão mais complicadas para Armindo Araújo e José Pedro Fontes.

Armindo Araújo termina o dia em quarto do CPR, a 30.1s da frente, e neste momento (virtualmente), a 17 pontos do que o líder do campeonato soma. Neste momento, precisa vencer a prova, vencer três dos cinco troços e esperar que Teodósio caia para quinto. Nada fácil, mas possível.

José Pedro Fontes termina o dia em segundo a 7.9s de Bruno Magalhães. Para ser Campeão, o piloto da Citroën precisa de vencer o rali, os cinco troços que faltam e que Teodósio caia para sexto. Se o algarvio fosse quinto, mesmo vencendo o rali e cinco troços, já não chegava…

Para ser campeão, Bruno Magalhães precisa de manter a posição, esperar que Teodósio mantenha o 3º lugar, e tem que ganhar três troços (dos cinco que faltam), e esperar que Teodósio não ganhe nenhum. Bastaria a Teodósio ganhar um para ser campeão.

Finalmente, e apesar de ter complicado um pouco mais as contas, Teodósio continua na mó de cima em termos de campeonato. Em primeiro lugar, basta manter tudo como está para ser campeão por 1.06 pontos. Mas, há ainda cinco troços para disputar, que valem 2.5 pontos e esses podem fazer a diferença toda.
Repare-se que neste momento, Bruno Magalhães está a 1.06 pontos de Teodósio. Se Bruno ganhar dois troços, soma mais um ponto. fica a 0.06 pontos de Teodósio. E ainda ficam a falta 1.5 pontos para ‘distribuir’. Portanto veja-se o a ‘delicadeza’ de tudo isto.

Há aqui uma coisa que é clara. O único com algo a perder é Teodósio. Hoje, arriscou pouco, não ganhou troços, mantém uma posição que lhe vale o título, mas não pode gerir amanhã tanto quanto geriu hoje.
Está a 2.7s de Fontes, e se chega ao segundo lugar nem que Bruno vença os cinco troços isso permite ao piloto da Hyundai ser Campeão.
Por outro lado, sendo certo que em condições normais, com Armindo Araújo 19.5s atrás, não é fácil perder a posição para o piloto da Hyundai, mas a verdade é que Teodósio não pode ficar a olhar para Armindo Araújo. Tem que olhar para Bruno Magalhães. Porque se o piloto que lidera o rali mantém a posição e ganha três troços (com Teodósio em 3º) será ele o campeão.

Como se percebe, há ainda muita coisa que pode acontecer amanhã e o mais certo é que, tal como tem sucedido nos últimos anos a decisão só seja conhecida no fim…

TEMPOS ONLINE – CLIQUE AQUI

Deixe um comentário

Please Login to comment
  Subscribe  
Notify of
últimas CPR - CAMPEONATO DE PORTUGAL DE RALIS
últimas Autosport