Carlos Martins pode ‘regressar’ ao Grupo N em 2017

Por a 15 Novembro 2016 07:42

Carlos Martins não teve uma época de 2016 fácil, os azares no início da temperada condicionaram-lhe desde logo o resto do campeonato e por tudo isso pondera no próximo ano colocar de pé um projeto diferente. As decisões ainda não estão tomadas a cem por cento, há ainda diversos caminhos possíveis, mas é forte a probabilidade de deixar de lado o DS3 R5 e voltar ao Grupo N: “A nossa época ficou desde logo marcada pelas duas desistências nas primeiras quatro provas e a partir daí acabei por falhar mais algumas provas, mas já a pensar no ano que vem. Possivelmente não vou correr de R5. Provavelmente vou correr na Produção, mas ainda tenho que ver, pois isso depende de algumas coisas. Até posso nas primeiras provas alugar um R5, e se correr bem, logo se vê” começou por dizer Carlos Martins, que explica a sua ideia: “O projeto R5 é caro e lutamos contra pilotos que são ultra profissionais que não fazem mais nada, estão sempre a andar, sempre a testar, e eu não tempo o tempo nem a dedicação que precisava, e isso faz uma grande diferença. É muito frustrante, e portanto, para me divertir, compro um carro de Produção e divirto-me. Lembro, aqui há uns anos quando andavam grandes pilotos na Produção, era muito interessante, e eu acho que um bom agrupamento de Produção é importante para o CNR, era bom que aparecessem vários bons pilotos, penso que isso seria muito bom para o campeonato. Lembro-me, por exemplo, do Adruzilo Lopes há uns anos….” disse Carlos Martins, que é de opinião que o ‘nosso’ CNR, ao nível mais alto, é muito ténue: “Eu penso que mais cedo ou mais tarde vai ser diferente. Há ali vários pilotos que colocam em dúvida o que vão fazer para o ano…” disse.

Carlos Martins abandonou o Rali Casinos do algarve, porque o seu pai foi um dos envolvidos no acidente de Elias Barros, mas felizmente não passou de um enorme susto: “Ele ficou bem. Foi ao hospital para observação e porque fez um golpe grande na cabeça, mas felizmente está bem”, disse. 15Quanto à prova: “Tinha a prova bem preparada, especialmente os troços do segundo dia, no sábado o troço do Chilrão foi muito difícil, tipo estradão e eu fiz um tempo relativamente bom, perco dois, três segundos, mas penso que ia acabar o rali a fazer bons tempos, mas proto, depois sucedeu aquilo…”

Deixe um comentário

Please Login to comment
  Subscribe  
Notify of
últimas CPR - CAMPEONATO DE PORTUGAL DE RALIS
últimas Autosport