Mais decisões no prolongamento

Por a 18 Junho 2007 16:52

A terceira prova do Campeonato Nacional de Ralicross, disputada em Lousada, voltou a ser marcada pelo signo das desclassificações, que, tal como em Sever do Vouga, adiou a decisão final sobre o vencedor da Divisão 1 para depois das verificações.

Desta feita foi João Tabaio a perder a vitória obtida em pista, depois de ser desclassificado por alegadas irregularidades nas medidas do restritor de turbo do seu Ford Focus, que apesar de ter os 45mm de diâmetro regulamentares, não os apresentava numa extensão mínima de 3mm (como exigido no regulamento). O primeiro lugar seria atribuído a Joaquim Santos, que assim conseguiu a primeira vitória em Ralicross para o Opel Astra OPC.

Mas as penalizações dos Comissários Desportivos não afectaram apenas a categoria principal, pois também Adão Pinto (Divisão 2) e Paulo Pacheco (Divisão 1 da Taça Nacional de Ralicross) seriam desclassificados após as respectivas finais, para além da penalização ao vencedor da Divisão 2 da Taça, João Sousa, que caiu para o oitavo lugar pelo facto do seu Renault Clio apresentar um peso abaixo do regulamentar.

Esta realidade, e os acontecimentos similares em rondas anteriores, deverão motivar uma reflexão sobre o grau de preparação e conhecimento das regras por parte dos concorrentes, assim como do modo de actuação dos comissários desportivos dos diferentes clubes, numa modalidade que continua a atrair milhares de adeptos às corridas e que não pode ser descredibilizada por situações deste género.

Joaquim Santos herdou então os pontos do primeiro lugar na Divisão 1, mesmo tendo sofrido um ataque final de Ruben Tabaio (Ford Escort) quando o motor do Astra OPC começou a ter problemas. O terceiro lugar ficaria para Miguel Moura, também em Ford Escort. Na Divisão 2 o jovem Marco António (Renault Clio) conseguiu interromper a série vitoriosa de Paulo Barros, tendo este inclusive desistido da final com problemas na caixa de velocidades do Opel Astra. Já na Divisão 3 reeditou-se o habitual domínio dos Citroën Saxo, com Paulo Pacheco a liderar desde a primeira volta e a vencer na frente de António Sousa e Hélder Ribeiro.
Finalmente, António Dias (BMW 325ix) venceu a Divisão 1 da Taça Nacional de Ralicross, enquanto Paulo Caçoilo (Renault Clio) aproveitou a penalização de João Sousa para triunfar na Divisão 2.

últimas MAIS MOTORES
últimas Autosport