Altice Portugal reforça apoios ao desporto motorizado

Por a 25 Janeiro 2019 08:49

As grandes empresas lusas estão cada vez mais a olhar novamente para o desporto motorizado, e depois da Galp recentemente ter reforçado as parcerias, agora foi a vez da Altice Portugal fazer o mesmo, através do MEO.

Neste contexto, Armindo Araújo e Miguel Oliveira são os dois novos parceiros da equipa MEO, e o WiFi da Altice Portugal vai cobrir a mítica 40ª edição da Rampa da Falperra, em forma duma parceria tecnológica.

A Altice Portugal dá sequência ao grande passado da sua antecessora, a PT Portugal, no relacionamento com o mundo dos ‘motores’ luso e reforça a sua ligação através de dois dos melhores representantes, Armindo Araújo e Miguel Oliveira, acrescentando ainda uma parceira com um dos eventos mais fortes que se realizam em Portugal, a Rampa da Falperra.

Com uma longa tradição no apoio ao Desporto Nacional, que se estende a várias modalidades como o surf, o ténis, com a promoção e apoio a skaters e bodyboarders, ou mesmo ainda com a parceria de mais de duas décadas à Federação Portuguesa de Futebol, vem agora reforçar a sua contribuição a nível nacional com o seu apoio ao Desporto Motorizado.

O MEO, marca da Altice Portugal, aliando-se à aposta da Altice Portugal no investimento e apoio ao desporto nacional, vem reforçar a sua equipa de embaixadores com os nomes de Armindo Araújo, penta campeão nacional de ralis e Miguel Oliveira, piloto de Moto GP e vice-campeão de Moto 2, ao tornar-se patrocinador pessoal dos dois atletas.

Armindo Araújo destaca os valores da marca MEO, sublinhando que «os nossos valores são muito semelhantes.» Afirma ainda que, «Começamos agora esta parceria que muito me orgulha, e espero que a Altice Portugal também se sinta orgulhosa. O meu desejo para 2019 é que possamos abraçar e alcançar muitos sucessos lado a lado.»

Já Miguel Oliveira considera que «esta parceria é uma oportunidade, junto com o MEO, de subir à categoria máxima do desporto motorizado de duas rodas. Levar emoção às pessoas e juntar Portugal. Acredito que com o MEO estarei ainda mais próximo dos portugueses e que levarei a emoção para dentro das nossas casas. Essa é a grande aposta e o grande objetivo.»

Para o Presidente Executivo da Altice Portugal, Alexandre Fonseca, «a aposta no desporto motorizado é prova que o nosso compromisso com a Sociedade e o Desporto Nacional se mantém firme, seja através do apoio às competições mais estruturantes, aos atletas, ou ao desenvolvimento das modalidades de uma forma geral. A Altice Portugal orgulha-se de se aliar a dois dos maiores nomes do desporto motorizado nacional, Armindo Araújo e Miguel Oliveira, que tanto têm contribuído, de forma patriótica, para a elevação do nosso país, e ainda a uma das mais icónicas provas de montanha da Europa, a Rampa da Falperra.»

São excelentes notícias para o mundo motorizado luso, pois quando empresas como a Altice e a Galp começam a ver um maior interesse neste tipo de ligação, isto significa que muita coisa está a ser bem feita, e isso pode seduzir outras empresas fortes a seguir o mesmo caminho.

5
Deixe um comentário

Please Login to comment
  Subscribe  
Notify of
2fast4u
Membro
2fast4u

Sem dúvida que é da louvar que esta seja uma das empresas que têm apoiado o desporto, mas mais uma vez o que se assiste é o apoio a dois pilotos consagrados que facilmente terão outros apoios, e estão numa fase da carreira que já estão “lançados”.
Devíamos aproveitar a onda de bom nome de Portugal lá fora e não descansarmos até termos um piloto na F1. Mas para isso terão de deixar de patrocinar sempre os mesmos…

Pity
Membro
Pity

Certo, mas há há algum piloto português na calha para a F1?

2fast4u
Membro
2fast4u

O problema está precisamente nesse tipo de mentalidade. Posso dar vários nomes que ficaram pelo caminho e que se calhar ninguém conhece. Tem de se criar condições para que ele surja, ou seja, apoiar um talento desde novo e não estar à espera que apareça alguém a dar nas vistas por meios próprios. Hoje em dia é muito difícil um miúdo dos karts dar seguimento à sua carreira porque isso implica € para correr lá fora. O António Félix da Costa teve de investir muito sem qualquer apoio até a Red Bull apostar nele, que é o que não se… Ler mais »

Scb
Membro
Scb

“Tem de se” Porquê?
As marcas têm de ter retorno. Vão apostar num piloto de velocidade sem promotor, sem publico, provas canceladas?
Apostaram em provas/pilotos que sabem que vão dar retorno superior. Existe o Vodafone Rali de Portugal e não o Vodagone Rali de Mortágua, assim como a rampa escolhida é a Falperra e não a da Serra da Estrela

pedro_speed
Membro
pedro_speed

Temos o Henrique Chaves, que, segundo o que me contaram, poderia ter obtido excelentes resultados nas competições por onde já passou, por exemplo em 2016 na Formula Renault 2.0 Northern European Cup, ganha nesse ano pelo Lando Norris, que este ano vai para a F1. Para isso bastaria ter tido bons apoios para treinar e estar numa boa equipa, pois muitos dos pilotos que por lá passaram, além de terem talento, também tiveram muito bons apoios económicos dos seus patrocinadores, que fazem toda a diferença! Esta expressão que usei “poderia ter obtido excelentes resultados” refere-se a algo já passado e… Ler mais »

últimas MAIS MOTORES
últimas Autosport