Alfa Romeo participa nas “Mille Miglia 2007″

Por a 18 Maio 2007 14:55

A Alfa Romeo Automobiles participa na 25ª. Edição evocativa das “Mille Miglia” a decorrer entre 17 e 19 de Maio com cinco automóveis da equipa oficial “Automobilismo Storico Alfa Romeo” cedidos pelo Museu Histórico Alfa Romeo.

Uma das equipas é formada por Viaro-Bergamaschi ao volante de um Alfa 6C 1500 Super Sport (1928), modelo que em 1928 conquistou as Mille Miglia às mãos de Campari-Ramponi e que, 77 anos depois, ganhou também a edição evocativa de 2005. A equipa Marx-Verga conduz um 8C 2300 Le Mans (1931), versão desportiva do “8C 2300” que se estreou em 1931 e, conduzido por Birkin, conquistou a “Eireann Cup” de Dublim, tendo triunfado quatro vezes consecutivas nas “24 Horas de Le Mans”, entre 1931 e 1934.

Grande curiosidade vão merecer por certo outros dois Alfa Romeo: um Alfa 1900 Sport Spider de 1954 com a equipa Arcieri-Di Mare e o famoso 1900 C52 Disco Volante de 1952 conduzido por Grimaldi-Labate. A particularidade destes dois automóveis é nunca terem sido produzidos em série: o primeiro é um protótipo preparado para competição na categoria “Sport” que teve de dar lugar às exigências de produção do 1900 SS e do Giulietta Sprint. Também o 1900 C52 Disco Volante Spider nunca foi produzido, embora muitas das suas inovações técnicas e formais tivessem sido aplicadas em modelos posteriores da Alfa Romeo.

A equipa “Automobilismo Storico Alfa Romeo” completa-se com Izquerdo-Azpilicueta a bordo do 750 Competizione construído em 1955 com o intuito de competir na classe “1500 cm3” na categoria “Sport” e que montava o motor do Giulietta, mas com mais potência e com a cilindrada aumentada para 1488 cm3.

Oitenta anos depois do nascimento da “corrida mais famosa do mundo”, a reevocação das Mille Miglia festeja este ano a sua 25ª. edição, estabelecendo um recorde absoluto de participantes estrangeiros, concretamente 221 num total de 375 concorrentes resultantes da selecção de mais de 700 pedidos de inscrição: uma operação difícil que obrigou a rigorosos critérios de qualidade e de frequência de participação e que conta com um substancial número de modelos Alfa Romeo. Aliás – e muito justamente – há quem considere as Mille Miglia como “o museu itinerante de maior prestígio no mundo”, pois conta com a participação de automóveis de valor inestimável que escreveram as mais belas páginas do desporto automóvel mundial.

E justo é também salientar que a Alfa Romeo detém o recorde de vitórias, com 11 títulos ganhos entre 1928 e 1947. Nos anos que se seguiram, as viaturas Alfa Romeo continuaram a conquistar vitórias nas classes respectivas, como foi o caso do Giulietta Sprint Veloce, do 1900 TI ou do 1900 Super Sprint alla Matta que obteve uma vitória na categoria dos veículos militares, até chegarmos ao 6C 3000 CM que em 1953, com Juan Manuel Fangio, averbou a décima segunda vitória absoluta da Alfa Romeo.

Este ano, o percurso das Mille Miglia apresenta algumas alterações, como seja o facto de as provas cronometradas terem passado para 40, mas sempre respeitando o traçado das vinte e quatro edições disputadas entre 1927 e 1957. A prova de regularidade desenrola-se ao longo de 1600 km passando pelo centro histórico das mais fascinantes cidades de Itália, aldeias antigas e reservas naturais.

Em pormenor, esta edição das Mille Miglia parte, como é tradição, de Brescia no dia 17 de Maio às 20 horas, passa por Peschiera del Garda e pelo centro de Verona, estando a chegada do primeiro carro a Ferrara prevista para a meia-noite. Na manhã seguinte, a primeira equipa arranca às 9 horas em direcção a Roma onde chegará por volta das 20 horas, depois de passar por Ravenna, fortaleza de S. Marino, Urbino e Assis. Sábado é o dia mais cansativo, com a saída do primeiro carro de Roma marcada para as 6, 30
horas. O percurso leva os concorrentes até Radicofani, um local carregado de história, centro histórico de Florença, passagem pelo lendário “Passo della Futa”, Bolonha, Modena, Reggio Emilia, Cremona e, por fim, Brescia.

Em suma, cada edição das “1000 Milhas” tem um pouco de competição, um pouco de aventura, mas nunca é igual à precedente. É este o segredo desta prova que todos os anos recebe a admiração e o calor do público, num claro sinal de que estes automóveis continuam a suscitar grandes emoções, mesmo entre os jovens que enchem as praças das várias cidades para ver de perto velhas glórias do passado.

últimas MAIS MOTORES
últimas Autosport