Novo Honda não evolui!

Por a 19 Fevereiro 2008 12:54

Foi visível em Jerez de la Frontera que a Honda é a equipa com pior andamento, de todas as que já apresentaram os seus carros novos. Aliás, mesmo incluindo a Toro Rosso e a Force India na comparação, é difícil considerar o RA108 mais rápido do que qualquer dos outros oito carros que estiveram em acção na pista andaluza, o que é dramático, quando se sabe que a equipa de Vijay Mallya vai apresentar um novo pacote aerodinâmico já para a semana e que a Honda só para o GP de Espanha terá novidades de monta para o RA108.

Vendo os carros em acção na pista não se nota no RA108 nenhum dos vícios que o seu antecessor tinha, pois o RA107 recusava-se a entrar em curva e quando o fazia começava a subvirar de forma assustadora mal os pilotos tiravam o pé do travão. Neste caso e apesar de terem estilos de pilotagem bastante diversos, tanto Barrichello como Button não tinham dificuldades de maior em entrar nas curvas, travando um pouco mais cedo que a generalidade dos seus rivais, mas viam-se em dificuldades para ter uma boa velocidade em curva, sendo também dos últimos a poder acelerar, até porque o V8 japonês continua a ser bastante mais brusco do que os seus rivais.

Falta carga aerodinâmica

Pudemos confirmar junto de elementos da equipa de Brackley que o principal problema do RA108 é uma assustadora falta de carga aerodinâmica, mesmo se o conjunto está bem equilibrado. Nas curvas rápidas a diferença de andamento para os McLaren, por exemplo, era visível à vista desarmada, e com um cronómetro na mão as coisas eram ainda mais evidentes.

Mesmo assim, tanto Button como Barrichello continuam optimistas quando faltam apenas duas semanas de testes antes do início da temporada. O brasileiro explicou que, «ao longo da semana encontrámos algumas soluções que nos deram melhor equilíbrio sobre as irregularidades da pista ou os correctores e começámos a encontrar a direcção correcta para desenvolvermos o RA108.»

Quanto a Button, «este foi o melhor teste que já tivemos desde que estreámos o RA108, mas é evidente que ainda temos muito trabalho para fazer antes de sermos verdadeiramente competitivos. Encontrámos algumas soluções interessantes a nível mecânico, testámos uma nova asa traseira que deu bons resultados e melhorámos bastante a nossa consistência de andamento nas séries mais longas. Em contrapartida na primeira volta lançada ainda não conseguimos tirar partido da aderência extra que nos é dada pelos pneus, pelo que é nessa área que temos de trabalhar mais.»

Na Honda confia-se que o RA108 tenha potencial para vir a lutar pelos lugares pontuáveis quando estiver suficientemente desenvolvido, mas nesta altura a falta de carga aerodinâmica é extremamente penalizante, tanto no tempo da primeira volta lançada como na degradação dos pneus traseiros, pelo que as primeiras corridas da temporada vão ser bastante complicadas para a equipa japonesa.

últimas FÓRMULA 1
últimas Autosport