Q&A Jody Egginton: “Esperamos ver uma fase de desenvolvimento rápido no início do ano”

Por a 12 Fevereiro 2019 11:44

Como é que a Toro Rosso abordou os novos regulamentos aerodinâmicos de 2019?

Jody Egginton (Director Técnico Adjunto): Um dos objetivos das alterações à regulamentação de 2019 era reduzir a quantidade de turbulência, o que nos deixa com o desafio de reconstruir as estruturas de fluxo necessárias para recuperar a carga perdida no âmbito das novas regulamentações. Embora a largura da asa dianteira tenha sido aumentada, perdemos as asas e os elementos que estavam na parte externa do plano principal e a própria placa final foi simplificada. Junto com a simplificação dos travões dianteiros, as oportunidades para gerar as estruturas de fluxo necessárias e posicioná-las onde quiser-mos são diferentes, e exigem que se recupere o tamanho e a trajetória dos acordes e estruturas de fluxo da roda dianteira, identificando áreas-chave para o desenvolvimento aerodinâmico e explorando-as ao máximo. Os grupos de ‘aero’ e design têm trabalhado arduamente para conseguir isso, enquanto em paralelo também se concentram em aspetos do processo de desenvolvimento aerodinâmico, concentrando-se no desenvolvimento de um conceito de carro que permite o desenvolvimento sustentável e regular de aerodinâmica sem a necessidade de grandes mudanças arquitetónicas. Esta abordagem será necessária para desenvolver aerodinamicamente as áreas-chave do carro rapidamente, pois esperamos ver uma fase de desenvolvimento rápido no início do ano.

O processo de projeto e desenvolvimento mudou do carro do ano passado para o STR14? Em caso afirmativo, qual é a diferença?

JE: Várias mudanças foram implementadas em relação à forma como desenvolvemos o carro de 2019, incluindo a abordagem de como desenvolvemos o carro aerodinamicamente. Este foi um tópico que esteve sob revisão durante algum tempo e, embora nunca haja um momento ideal para tal mudança, com base no que aprendemos em 2018, foi decidido que agora era o momento de introduzir estas mudanças. Embora a escala de tempo para algumas dessas mudanças tenha sido apertada e, a curto prazo, estas mudanças tenham gerado algum trabalho extra, a taxa de desenvolvimento do carro de 2019 agora é forte e responde bem aos desenvolvimentos aerodinâmicos sendo avaliados no túnel de vento. Em relação às metas de desenvolvimento, desenvolvemos uma série de métricas que permitem que áreas específicas do desempenho aerodinâmico do carro sejam localizadas e avaliadas. Isto permitirá que as nossas atualizações sejam melhor direcionadas para necessidades específicas identificadas.
Em última análise, é o ritmo a que estamos a desenvolver e a rapidez com que podemos obter estas atualizações para o carro que continua a ser o foco principal. Em alguns aspectos, isto é diferente da abordagem de focar nos pacotes aerodinâmicos, mas ao adoptar um desenvolvimento “contínuo” – especialmente após uma alteração da regulamentação – há potencial para uma reação mais rápida e uma abordagem mais simples à correlação.

Fala-se muito de “sinergias” com a Toro Rosso que recebe peças da Red Bull Technology, como é que isto afetou o STR14 Design?

JE: Nada mudou em termos do processo de design da instalação do carro, apenas temos menos algumas variáveis com as quais brincar. No entanto, dentro da estrutura de uma quantidade fixa de recursos disponíveis, isto pode fornecer uma oportunidade, pois permite um maior foco em outras áreas do conceito de carro que, por sua vez, podem trazer desempenho. No nosso caso, permitiu um maior foque no design da estrutura do chassis, nos elementos de travagem e da suspensão dianteira e na integração dos sistemas de combustível e refrigeração no chassis. Tudo isso resulta em benefícios que proporcionam à equipa mais potencia. O chassis em si, de acordo com os regulamentos, é um design e IP completo da Toro Rosso, assim como a suspensão dianteira exterior, juntamente com todos os aspetos dos sistemas de arrefecimento, instalação da unidade de potência e coluna de direção. A ‘extremidade traseira’ foi fornecida pela Red Bull Technology e a principal mudança para a Toro Rosso, sendo que estamos a utilizar uma caixa de velocidades e uma suspensão traseira, embora muitos dos componentes internos da caixa de velocidades sejam semelhantes a peças que utilizámos no passado. Tendo-se comprometido com o fornecimento de peças da Red Bull Technology, um grande esforço tem de ser colocado para integrar tudo o melhor possível e, claro, isto permanece sob o controlo exclusivo da Toro Rosso. A este respeito, estamos entusiasmados por nos juntarmos à Toro Rosso e à Red Bull Technology. Synergy é um conceito que nós, como equipa, abraçámos, tem vários aspectos positivos que nos dão a capacidade de redirecionar o nosso esforço de design para outras áreas e recursos que vêm com ele, enquanto recebemos peças que são comprovadas na pista.

Como é que a Toro Rosso abordou os novos regulamentos aerodinâmicos de 2019? Jody Egginton (Director Técnico Adjunto): Um dos objetivos das alterações à regulamentação de 2019 era reduzir a quantidade de turbulência, o que nos deixa com o desafio de reconstruir as estruturas de fluxo necessárias para recuperar a carga perdida no âmbito das […]

Visualizou de 4 artigos abertos

O AutoSport limitou a 4, o número de artigos
que poderá ler sem fazer login
Para continuar a ler livremente
os artigos AutoSport,
por favor faça login aqui
Caso não esteja ainda registado,
faça agora aqui o seu
registo gratuito
  • Não é possível alterar o nome de utilizador.

    Deixe um comentário

    Please Login to comment
      Subscribe  
    Notify of
    últimas F1
    últimas Autosport
    AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/motosport.png