/formula1/f1/mudancas-na-honda-maus-resultados-tramam-sato-e-arai/
Mudanças na Honda: Maus resultados tramam Sato e Arai | AutoSport

Mudanças na Honda: Maus resultados tramam Sato e Arai

Por a 22 Fevereiro 2016 12:05

Os maus resultados da Honda nas mais diversas categorias do desporto automóvel no ano passado, sobretudo na Fórmula 1, acabaram por ter consequências para os dois principais responsáveis pelo seu programa desportivo. Hideo Sato, o líder máximo da divisão de desportos motorizados da marca japonesa, e Yasuhisa Arai, o homem que liderou o regresso da marca nipónica à Fórmula 1 – com péssimos resultados – vão ser afastados dos seus cargos ao final do dia de hoje, mas já foram informados internamente dessa decisão.

O anuncio vai ser feito em Tóquio, amanhã à tarde, pelo presidente da Honda, Takahiro Hachigo, mas os nomes dos substitutos de Sato e Arai só vão ser conhecidos nessa altura. No caso de Hideo Sato, que está prestes a cumprir 65 anos, o afastamento acaba por ser uma forma de o enviar para a reforma de forma mais ou menos digna, pois os serviços prestados à marca nos últimos 15 anos merecem respeito, não se podendo falar num despedimento ou despromoção.

Já no caso de Arai a situação é diferente, pois está longe de ter chegado ao termo da sua carreira no seio da Honda, mas vai ter de aceitar que a sua progressão dentro da marca japonesa chegou ao fim. Durante os últimos meses temeu-se que o seu relacionamento pessoal com Hachigo, que trabalhou sob as suas ordens nos seus primeiros anos na Honda, fosse suficiente para lhe salvar o emprego, mas a pressão da McLaren e a falta de evolução da marca japonesa no final do ano passado acabaram por ditar o seu afastamento.

Pelo que se sabe o sucessor de Arai tem uma carreira sólida como engenheiro na divisão de motores e competição da Honda, o que já é um bom princípio, e é apoiado pela velha guarda – os veteranos que estiveram na origem dos gloriosos V6 turbo e V10 normalmente aspirados que dominaram a Fórmula 1 entre 1986 e 1991 – tendo feito parte do grupo que, por moto próprio, se propôs a redesenhar o turbo da Unidade Motriz actual à revelia da direcção de Arai e ganhou a guerra interna, pois o líder do projecto de Fórmula 1 foi obrigado a aceitar integrar o novo turbo no seu V6.

Luís Vasconcelos

Subscribe
Notify of
7 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Pity
Pity
5 anos atrás

Só não digo “perfeito”, porque a mudança deveria ter acontecido, o mais tardar, no final da época.

Gambuzino
Gambuzino
Reply to  Pity
5 anos atrás

Concordo consigo Pity. É pena isto estar a acontecer agora. O que a Mclaren-Honda precisa mais agora é de estabilidade e ausência de dramas à sua volta. A ver o desfecho disto…

cleu
cleu
Reply to  Pity
5 anos atrás

só um bêbado pra perder uma semana de testes com o motor de 2015 e insitir na ideia de turbo axial. Fora Arai.

Touringcarguy
Touringcarguy
5 anos atrás

Espero que isto de frutos ao nosso Tiago Monteiro no wtcc também!

anotheruser
anotheruser
5 anos atrás

Agora?!!
Estão ainda a reagir aos resultados de 2015?
Ou já estarão a reagir aos resultados de 2016?

Ayrton4Ever
Ayrton4Ever
5 anos atrás

É só rir aos litros com a Mclaren Honda!! Hehehehehe, o Comendador El Afinador será o próximo a migrar de freguesia??

trackback
5 anos atrás

[…] Vía | autosport.pt […]

últimas F1
últimas Autosport
f1